31 de maio de 2009

Fanfilme - Capitão Márvel 2 - A Maldição do Adão Negro

'Roubado' da Toca do Calango...

Lembram daquele fanfilme brasileiro sobre o Capitão Márvel (sim, com acento mesmo!)? Pois é, o autor se animou e já está editando o segundo. Conversei com ele por e-mail e me disse que deve lançar no segundo semestre.

Capitão Márvel 2 - Trailer



E este é o vídeo do primeiro filme.

Este é o melhor pior fanfilm que eu já vi. É muito trash! E é brasileiro! Mas tenho que reconhecer a iniciativa do cara. Afinal, paixão por quadrinhos é paixão por quadrinhos. Apesar de tosco, do Shazam "black power", do raio de papel laminado desgrudando da roupa e da toalha de mesa de boteco usada como capa, o filme é muito engraçado. Assistam!



Nota da Fê: Recomendei ao Calango que assista Fatman e Robada. É um fanfilme feito por amigos meus nos anos 90. É muito divertido tb. Tenho que lembrar de pedir autorização para falar sobre ele aqui no blog.

30 de maio de 2009

Phantom Of The Paradise [1974]


Olha ele aí!


Acrescente O Fantasma da Ópera, Fausto, Kiss, Alice Cooper, NY Doll's...
Um diretor brilhante... e muita, muita piração?
O que poderia surgir? Um Clássico! :D
PS: Parece que vai haver um remake...shit

Concebido pelo diretor em 1969 a partir da idéia que o mundo do rock estava se tornando uma espécie de Grand-guignol, então nada mais pertinente que aproveitar a emblemática história do Fantasma da Ópera, que já rendera diversos filmes, transportando-a à curiosa cena musical do início da década de 1970, em um musical repleto de sátira e ironia. De Palma estabelece o tom já na primeira sequência, na qual uma banda apresenta um número de rock aparentemente singelo, à moda dos anos 50, mas que introduz o tema do pacto com a morte. E mais, logo os músicos começam a fumar no palco um enorme baseado e a atacar as garotas da audiência.

Em seguida é apresentado o personagem Winslow Leach (William Finley, ator de aparência sinistra e recorrente nos primeiros filmes de De Palma), que penetra no Paraíso, um gigantesco teatro para shows de rock, para mostrar suas composições ao proprietário, o todo-poderoso produtor musical Swan (interpretado pelo compositor Paul Williams, responsável pela trilha do filme). Este, impressionado com a qualidade do material, uma cantata pop sobre o mito de Fausto, promrte produzir o espetáculo mas passa a perna em Winslow, roubando a autoria das canções. Winslow tenta chegar até Swan e numa das tentativas, conhece e se apaixona pela bela aspirante a cantora Phoenix (Jessica Harper). O produtor consegue mandar Winslow para a cadeia, mas ele foge ao saber que suas canções estão sendo gravadas pela banda Juicy Fruits, a mais popular das produzidas por Swan. Tentando mais uma vez chegar a ele, Winslow tem o rosto esmagado em uma máquina de prensar LPs, ficando deformado e perdendo a voz.

Esconde-se no teatro onde rouba um figurino estranho e assume a personalidade do fantasma. Após a primeira investida, com a explosão de uma bomba, Swan consegue convencer Winslow a assinar um pacto, pelo qual o compositor entregaria a Swan sua cantata, que seria produzida tendo Phoenix como estrela. Mais uma vez Swan trai Winslow, que não irá ter sossego até executar sua vingança. Como podemos concluir, não foi apenas O Fantasma da Ópera a principal refarência utilizada por Brian De Palma na construção de seu roteiro. O mito de Fausto se faz presente de uma forma tão ou mais intensa, que não se limita apenas ao tema da obra de Winslow, mas também através dos pactos que Winslow e posteriormente Phoenix, em busca de amor, reconhecimento e sucesso, efetuam com Swan, encarnaçao da figura demoníaca, não somente em um plano mítico, mas também na crítica a produtores inescrupulosos do mundo musical, que fabricam e moldam modismos e candidatos ao sucesso fácil, visando apenas o lucro imediato. Swan, inclusive, havia feito ele mesmo um pacto de juventude eterna, que remete claramente ao romance de Oscar Wilde O Retrato de Dorian Gray. É notadamente interessante a exploração que o diretor faz da frágil figura de Paul Williams, com menos de metro e meio de altura, conseguindo torná-la uma imagem tirânica que ele próprio definiu como um "Napoleão do rock". Sob o ponto de vista cinematográfico, as referências são ainda mais ricas e variadas.

Partindo da ambientação e temática essencialmente góticas da história original do Fantasma, De Palma explora intensamente o cenário do teatro, já apresentando neste filme o refinado apuro no trato da câmera que sempre irá marcar sua carreira. Mas temos também a presença de diversos tipos de gêneros cinematográficos, como as comédias mudas, cuja estrutura acelerada é aproveitada nos momentos que apresentam a prisão, fuga, deformação e transformação de Winslow, avançando uma série de episódios em poucos minutos, num exemplo de objetividade e consisão narrativas. O diretor também utiliza uma série de recursos como apresentação de manchetes de jornais, legendas e uma interessante sequência na qual aproveita o split screen. Com a tela dividida em dois planos, acompanhamos o primeiro atentado de Winslow contra o Paraíso, no qual este coloca a bomba na mala de um carro cenográfico, que é seguido por uma das câmeras enquantro a outra mostra o ensaio de um número musical que parodia os Beach Boys, no qual será utilizado o carro. Quando este entra em cena, se dá a explosão, numa sequência que faz uma homenagem ao filme A Marca da Maldade de Orson Welles, mas que não pode ser devidamente apreciada na cópia em VHS disponível no Brasil, que não apresenta o filme em widescreen, conforme foi concebido. E o etreno guru de De Palma, Hitchcock, está também presente, não somente no clima de suspense (mesmo que satírico), mas também numa citação explícita e bem humorada à cena do chuveiro de Psicose. Não podemos esquecer que O Fantasma do Paraíso é um filme musical, mas os números não se apresentam da forma tradicional, na qual a ação se interrompe para que os personagens cantem.

Em O Fantasma do Paraíso, os números musicais não paralizam, mas fazem avançar a narrativa, constando sempre de ensaios e apresentações, ou aparecem de forma a comentar ou completar a ação, de forma marcadamente satírica e irônica, como já foi dito. De Palma utiliza o Fantasma/Winslow para disparar suas farpas contra o exagerado circo no qual o rock havia se tornado, realizando uma declarada gozação com diferentes estilos e correntes do pop, desde os já citados rocks dos anos 50 e Beach Boys, passando pela androginia e artificialidade do glam rock, em voga na época da realização do filme e retratadas no hilário personagem do cantor Beef, mais uma das armações de Swan, chegando também a outra corrente surgida nos anos 70, a dos artistas que se apresentavam com pesada maquiagem em performaces de inspiração terrorífica, como Alice Cooper ou o grupo Kiss. A trilha de Paul Williams faz uma utilização rica e esperta desta cena musical variada em canções que, mesmo não chegando a ser brilhantes, transmitem com eficiência as idéias e propostas do roteiro escrito por De Palma. Este tem como clímax um final que explora o sensacionalismo e imediatismo da indústria do entretenimento, que não prescinde da idéia de impactar a audiência com um assassinato planejado ao fim de uma apresentação, antecipando uma idéia utilizada pela dupla Paddy Chayefsky-Sidney Lumet em Rede de Intrigas. Por outro lado, De Palma também não poupa o público, que em O Fantasma do Paraíso demonstra ser tão ávido e sedento de emoções baratas, sangue e morte como a platéia de um circo de gladiadores.

Gilberto Silva Jr.

29 de maio de 2009

The Hardy Boys Meet Dracula...and Paul Williams, too!


Que encontro bizarro...rs
Alguém aí lembro do filme The Phantom of the Paradise de Brian De Palma?
Versão rock de O Fantasma da Ópera? Quem viu lembra do baixinho aí cantando justamente essa mesma canção, "The Hell Of It". The Phantom é cult. Recomendo. :)
Quanto aos Hardy Boys, eles eram os queridinhos da época a-lá Jonas Brothers.

Transformers 2

Estou louca pra ver esse filme. Espero que seja tão legal quanto primeiro.

A única coisa que não engulo é a tradução que fizeram do subtítulo. Traduzir Revenge of the Fallen para A Vingança dos Derrotados é o fim da picada. Não é sonoro. Seria muito melhor traduzirem como a Vingança dos Caídos já que Fallen pode ter uma conotação mais 'bíblica'. Anjos, demônios, eterna luta bem vs mal... Coisinhas que estão sempre na moda e já estavam presentes no primeiro filme.


Star Wars - Figuras de Chumbo

clipped from www.interney.net

Olha só que bacana. Estava passando por uma banca de jornal há uns dois dias quando vi um daqueles fascículos gigantes com brindes de Guerra nas Estrelas. Cheguei mais perto e vi que era um soldadinho de chumbo do Darth Vader, extremamente bem feito, e custava apenas 10 reais!!!

A iniciativa (muito ambiciosa - são 60 miniaturas) é da Planeta DeAgostini13. Veja só a lista:

1) Darth Vader - R$ 10,00
2) Yoda + soldado de assalto imperial - R$ 27,99
3) C3PO
4) Luke Shywalker
5) Darth Maul
6) R2-D2
7) Chewbacca
8) Obi-Wan Kenobi (o velho)
9) Jabba - O Hutt
10) Anakin Skywalker
11) Han Solo
12) Nave TIE Fighter
13) Caça X-Wing
14) Leia
15) Imperador Palpatine
16) Bruno Aleixo
17) Grand Moff Tarkin
18) Guarda Imperial
19) Conde Do-CÚ
20) Almirante Ackbar
21) Padmé Amidala
22) Boba Fett
23) Clone Trooper
24) Tion Meldon
25) Bib Fortuna
26) Jango Fett
27) Lando Calrissian
28) At - at
29) General Grievous
30) Greedo
31) Jawa
32) IG- 88
33) Mace Windu
34) Povo da Areia
35) Millenium Falcon
36) Wedge Antilles
37) Landspeede
38) Nave Imperal
39) IG-100
40) Aayla Secura
41) Gamorreano
42) Qui - Gon Jinn
43) Snowtrooper
44) Boush
45) Oola
46) Piloto de Tie Fighter
47) Super Dróide de Batalha
48) Zan Wessel
49) Shaak - Ti
50) Watto
51) Max Rebo
52) Soldado Rebelde no Planeta Hoth
53) Scoth Trooper
54) Zuckuss
55) Lobot
56) Lom
57) Bossk
58) Dengar
59) Y - Wing
60) Slave l

Bom, eu fiquei impressionado com a qualidade da miniatura do Darth Vader. Dando uma olhada no fascículo (que é informativo pra caralho) vi que são soldadinhos de chumbo oficiais da Lucas Arts.

O foda vai ser colecionar todos, pois essa primeira edição foi promocional. O resto vai sair por R$ 37,99 cascalhões.

http://www.interney.net/blogs/melhoresdomundo/2009/05/28/darth_vader_de_chumbo_por_10_cascalhos/#more35342

Director's Cut - ST4: The Voyage Home, part 1/2

Leonard Nimoy discusses ST4: The Voyage Home, part 1/2

JORNADA NAS ESTRELAS - FRASIER

O sitcom "Frasier" brinca com Jornada nas Estrelas.

O cartunista mineiro Alves (Mad) disponibilizará em seu blog a monografia em formato de tiras cômicas que fez em 2008 para a conclusão do curso de Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais.

"Na monografia Cerrado em Quadrinhos: A Linguagem das Histórias em Quadrinhos Aplicada ao Ensino de Geografia, procuro discutir a questão da destruição silenciosa do Cerrado, assim como propor uma atividade didática no ensino de Geografia (por meio das HQs e da educação ambiental) como forma de sensibilização de professores e alunos quanto às questões socioambientais desse importante bioma brasileiro".

Um dos destaques do trabalho é a participação da Graúna, criação de Henfil, contracenando com o pássaro manuelzinho-da-croa, personagem principal das tiras.

Confira algumas imagens abaixo.


Fonte: UniversoHQ

Nova minissérie de Star Trek mostra a vida de Spock

Na esteira de Star Trek - Countdown, minissérie em quatro partes que conta a história de Nero, o vilão do novo filme Star Trek, a IDW anunciou Spock: Reflections.


Escrita por Scott Tipton e David Tipton e desenhada por David Messina, a minissérie mostrará os motivos que levaram Spock a viver em Romulus, o planeta onde Countdown começa.

Tipton revelou que muitos dos momentos marcantes do personagem estarão presentes na história, e que várias mentiras serão desmascaradas. "Em Reflections, teremos a oportunidade de entender por que Spock é um personagem tão fascinante", explica.

A minissérie tem estreia programada para julho, nos Estados Unidos.

Fonte: UniversoHQ

Rumour Update On An Apple Tablet Netbook Device

Ai, ai... sonha Aparicia! Como eu espero esse dia!
O que para muitos é um luxo para mim é uma absoluta necessidade.

==============

A recent report by a Wall Street Analyst and cited by the AppleInsider website has re-ignited all the rumours that Apple is going to release a new tablet-like Netbook device in the near future.

The tablet is rumoured to be a small seven to ten inch multi touch screen device sporting Mac operating system interface and possibly a ‘hybrid operating system’ and will support iPhone applications. There is also speculation that the cost of this device will lie somewhere between $500 and $700.

apple tablet Rumour Update On An Apple Tablet Netbook Device

Part of the reason that these latest rumours are attracting so much attention is because Tim Cook, acting Chief Executive Officer of Apple, recently criticised Netbooks and referred to the typical windows based Netbooks as “junky” saying they can’t deliver the “consumer experience” that the Mac operating system can.

At the same time, many analysts have completely written off the prospect of Apple ever producing a Netbook, saying it will just not happen. However, the touch screen tablet with iPhone support is not exactly a bog standard Netbook is it.

No one can deny the fact that there is a huge demand for Netbook type devices; they are selling like hot cakes. Even in the current economic downturn, Netbooks are the fastest growing segment of the whole computer industry and it doesn’t look like that will change any time soon.

Netbooks have undergone massive changes since they first appeared and the boundaries between small ultraportable Netbooks designed for content consumption and full blown laptops capable of content creation are blurring. So why wouldn’t any company want to get a piece of the action in one way or another, including Apple.

That’s one of the challenges with the Internet these days, one simple story in one single publication, in one small corner of the world, can spark off a massive tidal wave of interest, speculation and rumour to the extent that it can be difficult to separate out the truth from the trash.

Take these latest rumours as a perfect example. Steven J Vaughan-Nichols from Computerworld noticed that all the current rumours about an Apple tablet device stemmed from a single Digitimes story reporting that a touch display maker in Asia said it was working with Apple on new products. That’s literally all it takes.

Anyway, regardless of whether the rumours have any substance or not, if Apple produces any sort of Netbook type device, they are unlikely to go for a copy cat version of the types of products already available. No, they are more likely to push the boundaries even further.

28 de maio de 2009

Quando a ditadura argentina traduzia os títulos dos vinis. El Numero de la Bestia!!!

Bah! Eu lembro bem dessa época. Era meio bizarro, eles realmente traduziam tudo. Não só nomes de bandas, como de discos também. Como por exemplo, Richie Blackmore ficava algo como Ricardito Mais Preto. rs.

O legal é que os discos eram baratos e nós conseguíamos muita coisa através da Argentina. Aliás, ainda devo ter algum desses aqui.


Durante a ditadura militar argentina, uma lei bizarra pegou no pé dos LPs.

Sim, é isso mesmo, as filiais argentinas eram obrigadas a traduzir para o espanhol os títulos dos vinis e suas canções. Seria uma maneira de "disfarçar" os ianques? Ou de nacionalizar los gringos?

Da metade dos anos 70 até a metade dos 80, The Beatles eram conhecidos como “Los Beatles” e haviam gravado o álbum “Socorro!” (Help!). O disco Lets Dance, do David Bowie, virou “Bailemos”. E o clássico Strangers in the Night, de Frank Sinatra, se transformou em “Extraños En La Noche”.

O roqueiro argentino Silvano Brancati, um dos proprietários do Manifesto Bar305 (SP), chegou ao Brasil em 1985 - no fim da nossa ditadura. Ele lembra bem da repressão: “Eu era adolescente e já gostava de rock, mas era uma dificuldade pra mim. Morava em Buenos Aires e não chegava muito material de rock´n´roll por lá. E, quando vinha, era com nomes traduzidos e capas horríveis, mal reproduzidas. Achava aquilo estranho, principalmente, quando meus amigos conseguiam algum vinil importado. Além dos gringos serem em inglês (normal), eles ainda vinham com uma arte gráfica bem mais bonita.”

Hoje em dia, dependendo da raridade do vinil argentino, ele vale uma boa grana no E-Bay. E outros viraram apenas objetos de colecionador.

Lembrando: QUALQUER DITADURA É ESTÚPIDA!

Veja alguns exemplos de vinis traduzidos

Iron Maiden
El Numero de la Bestia (The Number of the Beast)

AC/DC
Si Queres Sangre (If You Want Blood (You've Got It))

Los Beatles
Submarino Amarillo (Yellow Submarine)

Bee Gees
La Vida Enlatada (Life in a Tin Can)

No repertório do primeiro disco do Black Sabbath, pérolas como “Sabado Negro” (Black Sabbath), “Mujer Perversa” (Evil Women), “El Hechicero” (The Wizard).

Billy Idol
Alarido Rebelde (Rebell Yell)

Deep Purple
Traetormentas (Stormbringer)

Echo & the Bunnymen
Canciones Para Aprender & Cantar (Songs to Learn and Sing)

Kiss
Destructor (Destroyer)

Ramones
Fin Del Siglo (End of the Century)

Rolling Stones
Rescate Emotivo (Emotional Rescue)

Whitesnake
Aqui Voy Nuevamente (Here I Go Again – single)

Frank Zappa
Ratas Calientes (Hot Rats)

por Daniel Vaughan306 // 26/05/2009 - 21:43

http://mtv.uol.com.br/vivaovinil/blog

27 de maio de 2009

Veja personagens de desenhos dos anos 80 contra as drogas

No fim dos anos 80, os desenhos animados deram um tempo nas estripulias para falar sério.

Imaginem só: Um especial animado que reunisse vários personagens famosos de desenho para uma causa nobre: o combate ao consumo de drogas.


Foi essa a premissa de um especial lançado no final dos anos 80. Era o Cartoon All-Stars to the Rescue ( algo como “Astros do Desenho Animado contra as Drogas”), um especial produzido para a TV que foi financiado pelo McDonald’s (irônico, não?), lançado em 21 de abril de 1990 em todas as três grandes redes de televisão americanas: ABC, NBC e CBS, juntamente com mais redes independentes.

O McDonald’s também distribuiu nos EUA um VHS, produzido pela Buena Vista Home Video, que tem início com uma introdução do então presidente dos Estados Unidos, George H. W. Bush, e a primeira-dama Barbara Bush. O desenho foi co-produzido com a Walt Disney Television Animation e Southern Star Productions, e foi animado pelo ltramarinos Wang Film Productions.


O especial fala de Michael, jovem usuário de maconha, o que o deixa mais instável emocionalmente, causando preocupação em sua irmã mais nova, Corey.


Muitos brinquedos de personagens de desenho ganham vida, para ajudar a encontrar um cofre de porquinho que desapareceu do quarto de Corey, e acabam encontrando drogas escondidas debaixo da cama de Michael, e descobrindo que foi ele que roubou o dinheiro do cofre de sua irmã para comprar maconha. Os vários personagens de desenho, em seguida, se unem, para levar Michael à uma viagem para ensinar-lhe os riscos que o caminho que ele trilha é muito perigoso e pode ter consequências desastrosas.


No elenco, dentre os personagens que podemos ver estão Pernalonga, Patolino, Garfield, Huguinho, Zezinho e Luizinho (DuckTales), Ursinho Puff, Tigrão, Tartarugas Ninja, Muppet Babies, Alvin e os Esquilos, Slimer ( o Geléia, dos Caça-Fantasmas), Os Smurfs e Alf. Como assim? Nada de Ursinhos Carinhosos? Óbvio demais, talvez?No Brasil foi exibido pela Rede Manchete nos anos 90, onde a maioria dos personagens foram dublados por seus dubladores oficiais aqui. O elenco nacional contava com nomes do calibre de Nizo Neto (Michael), Sílvio Navas (Papai Smurf), Carlos Marques (Garfield), Mário Monjardim (Pernalonga), Orlando Drummond ( Alf o extraterrestre / Patolino), Márcio Simões (Gonzo), Mário Jorge (Michelangelo), Manolo Rey( Esquilo Alvim / Caco, o Sapo (bebê)), Miriam Fisher (Esquilo Simon / Luizinho / Porquinha Pig (bebê), Marisa Leal (Esquilo Theodore / Zezinho) e Carmen Sheila – (Huguinho).



Fonte: 100 Grana.

Masmorra - Luz, Sombra e Escuridão

Outro blog sensacional! Me amarrei. Altamente recomendado aos fãs de RPG. Pasupata e cia, parabéns! Adicionado a minha listinha de favoritos. E obrigado pelo apoio. ;)

Enviado de meu iPhone


Cousa de Xenite!

Um jogo de tabuleiro feito por um internauta fã, me pareceu bom, ainda não joguei, como achei muito bem feito, resolvi postar; coloquei as figuras do tabuleiro só para decorar, todo o jogo está no arquivo para download.

XGBoardPt2
XGBoardPt4
XGBoardPt1
XGBoardPt3


THE QUEST FOR AMBROSIA
http://webhome.idirect.com/~stryper/xena_game.htm

As melhores lembranças dos anos 80 e 90...

Dica de site. Vale a pena visitar.

Roberto Orci tira dúvidas sobre Star Trek

A-há! Finalmente descobri porque diabos o Spock se ajoelhou quando desceu em Vulcano. Boas perguntas. Muito esclarecedoras. Obrigado ao Dr. Jones pela dica. :)

Enviado de meu iPhone
[Eu sempre editei essa linha, mas depois de assistir Fanboys comecei a achar 'cool'. ;)]

==============

O roteirista Roberto Orci concordou em responder a algumas perguntas dos internautas sobre o filme, através do site Trek Movie. Os temas abordam assuntos como tempo alternativo, escudos, matéria vermelha, USS Kelvin entre outros. Leia abaixo e tire suas dúvidas e curiosidades também.

Garimpei as perguntas mais interessantes e coloquei em tópicos para que você tenha noção do que está sendo discutido.

Teletransporte.

Como poderia Kirk e Scotty irem a bordo da Enterprise em dobra? Eu sei que Spock velho deu a fórmula. Isso já foi discutido em outras séries e filmes?

Orci: “Interessante. Discutimos muito essa questão. A resposta curta é que o isso é muito perigoso. Scotty foi quase morto, e nós tivemos uma linha no roteiro, antes que eles se transportem, onde Scotty diz: “Se o cálculo for acima de OOOOOOX (insere um número louco) poderíamos acabar 3 metros fora da nave!”. Lembre-se que efetivamente Spock velho fez o cálculo. É possível haver algo fundamental que ele não diga a Scotty para que não possa reproduzir os resultados”.

spock-transporte

Por que Spock desce em Vulcano ajoelhado?

Orci: “Estabilidade. Ele sabe que está sendo transportado para um lugar inseguro, desigual e, potencialmente um ambiente alterado. Melhor baixar o centro de gravidade e estar pronto para qualquer coisa”.

Escudos.

Quando a Kelvin e, posteriormente a Enterprise, estão sob o ataque, e os navegadores dizem ”escudos a 32%”, por exemplo, com a presença de destroços, as armas parecem esmagar como se não houvessem escudos. Elas não deveriam ricochetear ou defletir até que os escudos já não estivessem lá?

Orci: “Eu também sinto falta do brilho nos escudos ovalados. Não posso falar por J.J., mas posso imaginar que ele sentiu que poderia ter parecido muito protetor e de algum modo roubar as cenas viscerais do perigo espacial vindo direto da janela, mas a cena genial veio com uma pobre tripulante sendo sugada no silêncio do espaço. Os escudos pareciam estar no caminho, e me recordo de conversas sobre diferentes formas de imaginar os escudos (vedação para danos no casco) e que forneceriam uma espécie de efeito eletro-tensão sobre o casco em si, que aumentava sua resistência ou algo assim”.

Procedimentos da Frota/Federação.

Uma das minhas preocupações com o filme foi a total ausência dos fundamentos daquilo que a Federação representa. Não existe qualquer diálogo sobre a filosofia de explorações, a tolerância, etc. A “humanitária e sustentadora paz armada” soa como algum possivelmente perigoso duplo sentido.

Uma segunda observação que tenho é que agora, com Vulcano destruído, há uma grande oportunidade para discutir como um povo sente deslocado de sua casa. enterprise-final

Esta diáspora pode ser utilizada com grande cuidado e oferecer comentários sobre o atual estado pós-colonial dos povos. Deep Space 9 fez algo um pouco parecido com os Bajoranos.

Orci: “Então você concorda que existe uma linha (de procedimento), pelo menos, mesmo que você não goste dela. Você está certo que é uma ligeira contradição digna de ser rotulada como duplo sentido Orwelliano. A pergunta que eu colocaria é, essa contradição não reflete alguma veracidade ou a percepção sobre o poder em nossos tempos?”

“Quanto à exploração, a última linha do filme menciona isso. Mas você está certo de que este filme não é sobre a exploração da missão de cinco anos, é sobre o que aconteceu lá”.

“Concordo com você sobre Vulcano. É um território suculento (para novas histórias)”.

Algumas passagens do filme parecem indicar que há ainda algum tipo de economia monetária no universo de Star Trek, por exemplo, McCoy não tem nenhum lugar para ir, após o seu divórcio?

Orci: “Kirk se oferece para pagar uma bebida a Uhura no bar, há dinheiro, ou algum tipo de sistema de crédito neste universo”.

Passagem dos eventos no filme.

Quanto tempo passou entre a destruição da Narada e Kirk recebendo sua medalha e tornando-se capitão? Eu preferia, pelo menos, um ano ou dois, pois faria um pouco mais de sentido do que um cadete automaticamente se tornar capitão, independentemente de quantas pessoas ele salvou. Eu sei que vocês queriam terminar o filme com Kirk como capitão, e todos em seu lugar, mas algumas duas linhas de explicação teria sido bom.

Orci: “Há umas poucas transições sutis no filme que são propositadamente ambíguas para permitir o debate sobre quanto tempo levou para acontecer as coisas, como a velocidade de dobra para Vulcano ou muita coisa que você coloca a fim de deixá-la nos olhos de quem vê. Mas sim, queríamos terminar com Kirk como capitão”.

mccoy-kirk

“Eu argumentaria que é ligeiramente impressionista dar a aparência de tempo real. Por exemplo, parece que ocorre imediatamente quando Chekov dá um breve informe pela nave e depois Kirk percebe que é uma armadilha e quando chegam a Vulcano em quatro segundos. Mas se você notar, quando Kirk acorda ouvindo Chekov, Magro mudou completamente seu uniforme azul, indicando uma passagem de tempo indeterminado”.

Vulcano.

Vulcano é visto nas séries e filmes tendo o céu vermelho, mas no filme ele parece com o céu azul. Afinal Vulcano tem ou não o céu vermelho?

Orci: “O céu vermelho de Vulcano é sazonal”.

O filme indica que existem 10.000 sobreviventes Vulcanos, o que parece muito baixo para toda a raça. Provavelmente não estão contando os de outras colônias ou mundos.

Orci: “Verdadeiro. Vamos apenas dizer que 10.000 não inclui os que estão em outros mundos”.

Construção da Enterprise.

Qual a razão da Enterprise ter sido vista sendo construída em Iowa e em terra?

Orci: ”A razão por detrás da câmera está relacionada à nossa meta de conectar uma audiência geral a ideia de que Star Trek é real e ligada a terra (literalmente). A idéia foi baseada em uma foto montagem de um fã, que encontramos na internet, alusiva a USS Enterprise em um estaleiro. Alex e eu mostramos esta imagem para J.J., e ele fechou sobre o seu valor imediatamente. De uma perspectiva da história, a idéia é que a morte de George Kirk levou a Frota a homenagear o seu sacrifício com o estaleiro em Riverside Iowa. Nós ouvimos a queixa de que é ineficiente construir uma nave espacial no terreno, mas percebi que qualquer nave que possa literalmente cruzar uma galáxia dobrando o espaço e que se desloque mais rápido do que a luz é seguramente capaz de fazer o que o ônibus espacial pode fazer, que é subir ao espaço facilmente”.

Relação entre personagens.

Como um fã, destruir Vulcano, Romulus e matar a mãe de Spock, era realmente necessário?

Orci: “Sabíamos que seria controvertido com certeza, mas quisemos deixar claro que as regras haviam mudado, e que foi definitivamente uma nova linha de tempo. Como para a mãe de Spock … nós não mencionamos isto muito, mas uma das inspirações para a relação Kirk/Spock foi a amizade entre Paul McCartney e John Lennon. De certa forma, eles foram opostos, mas unidos no início da vida, porque eles sofreram muito através da perda de um pai na infância”.

spock-uhura-kiss

O romance entre Spock e Uhura surgiu de sua cabeça ou foi baseado em algo da série original?

Orci: “Veio de nossas cabeças, embora após o fato, nós olhamos para trás, em alguns episódios, e notamos um momento ou dois de flerte que nunca tínhamos notado entre Spock e Uhura na série original”.

Havia alguma razão para Uhura e Spock mostrar afeto em uma forma tradicional humana, em oposição a Sarek e Amanda, cujos toque dos dedos normalmente é associado ao amor Vulcano? Por que não misturar os dois?

Orci: “Nós realmente debatemos muito coisa, perguntei se a cerimônia do toque seria melhor no elevador, mas J.J. corretamente assinalou que o novo público não teria idéia do que estava acontecendo”.

Quando Spock velho vê Vulcano sendo destruído, isso foi figurativo, significando que ele sentiu isso, ou ele literalmente assistiu a partir da superfície do planeta?

Orci: “Gosto de pensar como figurativo (ou impressionista)”.

O irmão mais velho de Kirk está vivo? Na linha original de tempo o irmão de Kirk estava na estrada? Ou era o garoto que deveria dirigir o Corvette?

Orci: “O canôn é ambíguo sobre o assunto. O garoto na estrada foi originalmente concebido para ser seu irmão, e ainda poderia ser, eu suponho”.

Considerando que Kirk estava no 3 º ano como cadete, chegar a promoção para Capitão, após uma missão, não seria um pouco forçado?

Orci: “Sim, seria se não houvesse outras circunstâncias (como salvar o mundo, ou as recomendações do Spock velho e do capitão Pike). As pessoas disseram o mesmo quando um senador saltou para a Presidência (JFK, uma inspiração para Kirk, bem como Obama)”.

O Almirante Archer mencionado no filme é o Johnathan Archer de Enterprise? Em caso afirmativo, ele não teria mais de uma centena de anos?

Orci: “O Almirante Archer é uma referência ao Archer que todos nós conhemos, e sim ele estaria acima dos 100 anos, que é provavelmente uma esperança de vida em um espaço futurista conseguido pela raça humana, como demonstrado pelo McCoy (DeForest Kelley), em a Nova Geração”.

keenser

De onde veio a ideia de dar a Scotty um companheiro alienígena, Keenser? Ele se parece com os extraterrestres de Kolarus em Nemesis. Havia algum aspecto semelhante? Será que realmente faz sentido ter este alienígena na Enterprise afinal?

Orci: “Creio que foi J.J. quem deu a idéia no último minuto. Não acho que J. J. tenha visto Nemesis, por isso eu duvido que qualquer semelhança seja intencional. Eu gosto da idéia de ter um ajudante para Scotty na engenharia”.

Data Estelar.

Como a data estelar funciona no filme? É igual a das séries e filmes?

Orci: “O ano, como 2233, com o mês e o dia expressados com um ponto decimal de .1 a .365″.

Nota: Quando Robau diz a data estelar como sendo 2233.04, ele está se referindo ao ano de 2233 no 4º dia, ou seja 4 de janeiro de 2233, que passou a ser a data de nascimento de Kirk.

Tecnobable.

warp-core

Como a destruição do núcleo de dobra ajuda alguém a escapar de um buraco negro?

Orci: “A reação matéria/antimatéria no mesmo horizonte é tão enérgica que, juntamente com o campo de partículas virtuais sendo criados no mesmo horizonte, tem o efeito de expansão do espaço local (muito parecido com a expansão discutido após o “big bang”) para colocar a Enterprise fora do ponto de não retorno. Ou alguma coisa assim”.

Sobre a fala final com Nimoy.

Uma vez que o filme foi a respeito da origem de Kirk e sua jornada para a cadeira de capitão da Enterprise, você não acha que deveria terminar com ele (Pine) fazendo esse discurso (Espaço, a Fronteira Final…)? E alguma vez consideraram Shatner para fazer isso?

Orci: “Nós certamente considerarmos todos acima. Afinal, sentimos que, a partir do canon e do ponto de vista do fandom, Spock velho (Nimoy) tornou esta viagem realmente possível (literalmente dentro do enredo e karmicamente através do seu apoio ao filme) e, como tal, ele merecia anunciar a “continuação das viagens”, a qual pareceria estranho para Pine dizer isso já em sua primeira viagem real. Mas certamente debatemos tudo em pormenores”.

Linha de tempo alternativa.

vulcano-destruido

Porque Spock Prime não tentou restaurar a linha de tempo e salvar Vulcano?

Orci: “Por duas razões: o mecanismo da matéria vermelha foi destruído, por isso mesmo que ele queria voltar no tempo, mas não pode”.

“Em segundo lugar, a nossa história não é baseada na cronologia linear da Teoria Geral da Relatividade de Einstein, sobre o qual muitos filmes sobre viagem no tempo se baseiam (como De Volta Para o Futuro, Terminator). A ideia de uma linha de tempo adaptável tem sido um maravilhoso elemento básico do sci-fi desde os anos 50, mas na leitura sobre o pensamento mais atual em física teórica quanto a viagem no tempo (Mecânica Quântica), nós aprendemos sobre teorias especulativas que sugerem que se a viagem no tempo é possível, então o ato de viajar no tempo, ele próprio cria um novo universo que existe em paralelo com aquele deixado pelo um viajante do tempo. Esta é a teoria preferida nestes dias porque ela resolve o paradoxo do avô, cuja questão é: o viajante que mata seu próprio avô quando jovem teria logicamente deixado de existir, mas então ele nunca teria viajado no tempo e matado seu avô, em primeiro lugar. O Quantum mecanicamente baseou teorias que resolvem esse paradoxo, alegando que o tempo do viajante, ao matar seu avô, seria apenas dividido em um novo universo idêntico dentro de outro, no qual um homem que é seu avô neste universo é morto em um novo. O viajante do tempo não deixa de existir, embora ele já não esteja no seu próprio universo original ou algo parecido”.

“Para resumir acima sobre a questão da viagem no tempo, voltando no tempo é o equivalente a entrar num universo paralelo, de acordo com as atuais especulações baseadas na Mecânica Quântica”.

“… E finalmente a segunda razão para Spock, o meu ás na manga, é uma Primeira Diretriz Temporal”.

spocks-salute

“Mas mais importante ainda é na cena com os dois Spocks, você pode recordar que o Spock jovem pergunta ao Spock velho: “Como você persuadiu (Kirk) para manter o seu segredo?” E Spock velho responde: “Ele (Kirk) chega a conclusão de que os paradoxos que terminam com o universo iriam acontecer…”. Em outras palavras, ele está dizendo que levou Kirk a acreditar erroneamente que a viagem no tempo funciona como tem sido nos cinemas desde os anos cinquenta, quando, na realidade Spock sabe que não existem paradoxos que terminam com o universo em multiuniversos. Eles estão em uma realidade paralela, como Uhura disse”.

kelvin1

No universo original Kirk nasceu em Iowa. No tempo alternativo, ele nasceu numa nave auxiliar. Se as linhas de tempo eram idênticas, seu nascimento não deveria ocorrer no mesmo local ou isso sugere que cada um tem a sua história?

Orci: “A Kelvin estava voltando para a Terra, mas foi desviada para investigar a “tempestade elétrica”. Caso contrário, ela já voltaria para casa e Kirk teria nascido em Iowa. O ataque de Nero fez a mãe de Kirk ter o filho mais cedo”.

O caminho de Kirk (ser capitão) está totalmente regido pelo destino, mesmo num tempo alternativo?

Orci: “Na minha opinião, não, não estamos contando com a sorte. Spock velho colocou Kirk na cadeira de capitão não se baseando na noção de destino, mas na comprovada evidência empírica (de Nimoy no passado) de que Kirk tem uma habilidade que os outros não tem”.

Cenas cortadas.

Em termos gerais, agora que tudo está feito e cortado e lançado e dissecado, alguma parte do filme seria diferente se a greve dos roteiristas não tivesse ocorrido?

Orci: “Vamos ver … nós provavelmente teríamos sido capazes de substituir cenas cortadas de Nero no tempo da prisão Klingon com algumas outras, de forma mais sucinta, representando algum aspecto de seu 25 anos de espera”.

O que você gostaria de ter incluído no filme?

Orci: “Queria falar da Primeira Diretriz, do Pon Far, da Carol Marcus, de Mudd, Gary Mitchell, sobre o tempo na Farragut, a lista é interminável”.

Próxima história.

Damon Lindelof vai fazer parte do próximo script, como?

Orci: “Damon irá criar a história conosco e Alex e eu vamos escrever o roteiro. A lógica é que ele é um gênio e nós temos toda a ajuda que poderemos ter para chegarmos com a certeza de que o próximo filme será tão bom quanto ele poderá ser”.

Os Vulcanos, sua cultura e seu planeta tem, obviamente, uma influência enorme sobre a Federação, desde o início. A partir da ciência, da arte, da mística, Vulcano sempre foi muito além da Federação como Terra. Com Vulcano destruído nesta linha de tempo, terá a Federação desdobramentos de uma maneira que deveria, ou se tornará uma coisa completamente diferente, completamente humana …?

Orci: “Eu diria que a influência absolutamente irá ainda fazer-se sentir, talvez mais, como a Federação se reorganize ao redor do restante da colônia Vulcana para garantir que estão seguros para prosseguir”.

Embora Jornada tenha sido progressista para sua época, havia uma única mulher no elenco original. Existem planos para introduzir novos personagens, especialmente do sexo feminino?

Orci: “Sem dúvida, está em nossas mentes”.

Eu presumo que o exame de Narada feita pela Kelvin permitiu à ciência da Frota progredir mais rapidamente do que no tempo original. Poderemos ver este rápido crescimento tecnológico em Star Trek XII, com o conhecimento de Spock velho, isso se ele quiser falar e devemos esperar ver a nova linha temporal divergir substancialmente da original?

Orci: “Essa linha de tempo pode divergir muito da original, mas imagino que Spock velho vá aderir a algumas das diretivas temporais, nas quais tentará minimizar o conhecimento do futuro para afetar o seu novo presente”.

http://www.trekbrasilis.org/2009/05/22/roberto-orci-tira-duvidas-sobre-star-trek/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...