Metal encerrou a quarta edição do Rock in Rio Lisboa

Tô realmente ficando velha e desatualizada!
Não sabia que ia ter noite do metal no RIRL. 
Rammstein? Motorhead??? Morri!

Rammstein, Megadeth, Motörhead e Soulfly levaram 38 mil pessoas à Cidade do Rock no último dia do festival



Muitas t-shirts pretas, várias cabeleiras fartas (outras já nem tanto) e uns quantos cânticos urrados em jeito de grito de guerra. O Rock in Rio Lisboa encerrou «em peso» a edição 2010 com muito hard rock e metal no Parque da Bela Vista.

As portas do recinto abriram com uma hora de atraso e a entrada na Cidade do Rock foi feita lentamente. Afinal, dia de metal em festival é dia de segurança apertada e revistas mais demoradas.

Apesar dos protestos pela longa espera, os milhares que começaram a juntar-se em frente ao Palco Mundo depressa esqueceram o contratempo assim que os Soulfly entraram em cena. A banda do brasileiro Max Cavalera acaba de editar um novo disco, mas de «Omen» os fãs portugueses só puderam ouvir o tema de abertura, «Bloodbath & Beyond».

O primeiro concerto do dia no palco principal deu boas-vindas ao mosh com êxitos dos Soulfly como «Seek 'n' Strike» ou «Back to the Primitive» e com clássicos dos Sepultura, casos de «Refuse/Resist» ou «Roots Bloody Roots». A breve passagem por «Walk», dos Pantera, e a participação do filho de Max, Igor, como baterista em «Troops of Doom», também ficaram na história do espectáculo.

Motörhead em dose dupla

Ainda antes do pôr do sol, por volta das 20h30, chegava a vez dos veteranos Motörhead tomarem conta das atenções no Rock in Rio. Lemmy, Phil Campbell e Mikkey Dee foram suficientes para encher as medidas do enorme Palco Mundo com um rock 'n' roll musculado e com 35 anos de rodagem.

Num dos melhores concertos da noite, a banda britânica juntou temas mais recentes a verdadeiros marcos da música pesada, como «Overkill» e «Ace of Spades». Esta última canção foi aliás interpretada quase em simultâneo pelos Motörhead, no palco principal, e pelos Hail!, no Palco Sunset. A super banda que inclui Andreas Kisser (Sepultura) e Paul Bostaph (ex-Slayer) partilhou clássicos do metal com os portugueses Ramp e com a convidada especial Diana Piedade, finalista da mais recente edição do concurso «Ídolos».

Megadeth para os headbangers

Depois de uma boa «rocalhada» das antigas, foi a vez dos Megadeth marcarem o regresso a Portugal, eles que cá estiveram em 2009 com os Judas Priest, no Pavilhão Atlântico. Com o baixista David Ellefson de volta à banda, os norte-americanos aproveitaram a estreia na temporada de festivais para uma actuação em formato «best of».

«Symphony of Destruction», «A Tout Le Monde» e «Peace Sells» foram alguns dos momentos altos de uma prestação que acabou por valer mais pelos solos de guitarra de Chris Broderick e Dave Mustaine, do que pela voz deste último. O líder dos Megadeth, com a sua cabeleira ruiva que persiste desde os anos 1980, teve muitas dificuldades com registos mais agudos, o que acabou por manchar um concerto perfeito para o headbanging.

Chama alta com os Rammstein

O palco principal do festival encerrou em alta com os alemães Rammstein, que no regresso ao nosso país voltaram a aquecer, e de que maneira, os ânimos da plateia. Muito fogo e efeitos pirotécnicos aliados a refrões entoados pela multidão andaram lado a lado ao longo do último concerto da noite.

Till Lindemann e companhia não desapontaram os fãs com mais uma boa dose de canções enérgicas, muitas delas a provarem a eficácia ao vivo do novo álbum, «Liebe ist für alle da». Se este domingo o festival até registou a menor afluência de público da edição 2010, a verdade é que a grande maioria dos 38 mil espectadores não terão ficado indiferentes à capacidade dos Rammstein em produzirem um bom espectáculo.

«Links 2-3-4», «Du Hast» e «Ich Will» continuam a ser pontos obrigatórios de passagem e os temas mais fortes do alinhamento, pelo menos a julgar pela reacção dos fãs. Mas entre viagens de barco insuflável sobre o mar de público e canhões fálicos que disparam espuma sobre a plateia, «Haifisch» e «Pussy» também marcaram pontos pela sua teatralidade.

http://www.tvi24.iol.pt/musica/rock-in-rio-rammstein-megadeth-motorhead-soulfly-rock-in-rio-2010/1166621-4060.html#

Comentários

Postagens mais visitadas