Site dos EUA vende fóssil brasileiro por R$ 25,6 mil

Image634441554778303994Mais um tesouro da pré-história brasileira pode acabar no exterior. Pior ainda: seu destino pode ser uma coleção de fósseis particular sem acesso aos cientistas.

No site americano PaleoDirect, especializado na venda de fósseis, é assim: quem tiver o dinheiro, leva.

Peças saídas do Brasil não são novidade por lá. Mas, atualmente, um raro e inédito fóssil do país está à venda.

Quem tiver R$ 25,6 mil pode se tornar proprietário da superconservada asa de uma espécie de pterossauro que ainda não foi descrita[1].

"Não é a primeira vez que esse site faz isso. Eles dizem que os fósseis saíram legalmente do país, mas não é verdade", diz Felipe Monteiro, da Universidade Federal do Ceará. Ele é pesquisador na Chapada do Araripe (CE), região de origem do fóssil.

A Folha pediu ao PaleoDirect para ter acesso ao certificado de autenticidade que consta no anúncio do fóssil, mas não obteve resposta.

Segundo o site, o fóssil é "de uma coleção europeia com mais de 70 anos". Ou seja, é anterior à promulgação da lei de 1942 que exige autorização do governo para que qualquer fóssil com interesse científico saia do Brasil.

Segundo especialistas, dizer que as coleções são anteriores à lei é a principal desculpa para dar "aparência de legalidade" ao contrabando.

Ao contrário do Brasil, nos EUA o comércio de fósseis, incluindo para o exterior, é autorizado. Por isso, sites como o PaleoDirect podem operar.

A Chapada do Araripe, onde o fóssil foi achado, é um complexo paleontológico reconhecido pela Unesco.

O mesmo site já protagonizou outra polêmica com fósseis brasileiros. Em 2008, a Folha noticiou a venda de um crânio intacto de um réptil voador por US$ 700 mil.

Folha

Comentários

Postagens mais visitadas