Desenvolvedores criam games contra projeto de lei antipirataria

Image634625976180113726Os protestos desta quarta-feira (18) contra os projetos de lei antipirataria conhecidos pelas siglas SOPA e PIPA, que incluiram o "blecaute" de endereços importantes como a enciclopédia digital Wikipédia e fizeram Google e outros publicarem manifestos, também chegaram ao mundo dos games.

Desenvolvedores independentes anunciaram uma competição para decidir qual o melhor jogo de protesto contra as propostas que tramitam no Congresso dos Estados Unidos.

Entenda os projetos de lei
O Stop Online Piracy Act (SOPA) é um projeto de lei com regras mais rígidas contra a pirataria digital nos EUA. Ele prevê o bloqueio no país, por meio de sites de busca, por exemplo, a determinado site acusado de infringir direitos autorais. O foco está principalmente em sites estrangeiros, contra os quais as empresas americanas pouco podem agir. No Senado, circula o Protect IP Act, conhecido como PIPA (ato para proteção da propriedade intelectual), outro projeto sobre direitos autorais que mira a internet.

Ambos são apoiados por empresas de entretenimento, constantes alvos de pirataria, mas são questionados por companhias de internet, como Google, Facebook, Amazon e Twitter, que interpretam as medidas como um tipo de censura aos sites e à liberdade de expressão. O SOPA ainda está sendo avaliado por comissão na Câmara; o PIPA deve ir à votação no Senado ainda neste mês.

Como é a competição de games
A competição de games independentes Ludum Dare criou uma categoria que pede que os participantes enviem apenas nesta quarta-feira (18) jogos inspirados nos protestos contra SOPA e PIPA. Não há prêmio definido pela organização. Os jogos serão apenas divulgados no site do evento.

Jogo de tiro em 3D tem como objetivo eliminar executivos de companhias que apoiam a Sopa (Foto: Divulgação)

Alguns já foram submetidos para a competição como "Super Sopa Bros." (clique aqui), uma sátira ao game "Super Mario Bros.", lançado em 1985 para o console NES, da Nintendo. Nele, todos os elementos do game como o personagem principal, itens e inimigos foram substituídos por blocos com os dizeres "censored", ou censurado, em tradução.

Outro, chamado "Seemingly Endless Battle" (clique aqui para acessar) coloca o gamer contra inimigos tridimensionais que representam grandes empresas de mídia que dão suporte aos projetos de lei.

G1

Comentários

Postagens mais visitadas