29 de fevereiro de 2012

[YT] Globo Reporter, Junho 1991, A Febre do Videogame

 

Nota da Fê:

Dica do amigo Daniel via Facebook. Smiley piscando

Índia inicia o inventário de um tesouro avaliado em 16.000 milhões encontrados em um templo

Image634661415953589340

Tradução para o Português [Google] aqui.

28 de fevereiro de 2012

O Primeiro Tablet da Apple [Não, não é o Ipad!]

Image634660000701988173

Em 1983, o fundador da empresa Frog Design [sob contrato com a Apple] projetou o dispositivo touch “Bashful” [em homenagem ao personagem Dengoso da Branca de Neve]. Um computador bastante leve para a época. Hartmut Essligner ajudou a criar o conceito daquele que poderíamos chamar de o ‘tataravô’ dos atuais tablets. Contava com um teclado integrado, um floppy disk drive, uma pen estilosa e uma tela sensível ao toque. Um dos modelos do Bashful incluía até mesmo um telefone!

27 de fevereiro de 2012

"Geração Y" é passado; agora é a vez da "geração C", de Conectados

Image634659472874540721O nome "geração Y" é dado àqueles nascidos a partir das décadas de 70 ou 80. No entanto, nunca se criou um termo para determinar os jovens que vieram depois dessa turma, que já nasceram em um mundo com excesso de conteúdo, onde a socialização e o compartilhamento de experiências se dão através de dispositivos móveis ou conectados à internet. Por isso, a Nielsen, empresa de pesquisas digitais, criou o termo "Geração C" para rotular esse pessoal.

O grupo representa jovens que têm entre 18 e 24 anos de idade, definidos pela conectividade digital. Esse grupo já representa 23% da população dos EUA, segundo o Mashable.

Essa fatia populacional é responsável por assistir a 27% dos vídeos online, constituir 27% dos visitantes de redes sociais, possuir 33% dos tablets, usar 39% dos smartphones e representar 23% dos telespectadores de televisão.

A Nielsen ainda fez um gráfico mostrando divisões sexuais, etárias e étnicas sobre cada um dos segmentos citados. No caso dos telespectadores de televisão, por exemplo, o infográfico mostra que pessoas brancas assistem mais TV que as negras e asiáticas. Também aponta que mulheres assistem mais vídeos online que os homens.

A Nielsen diz que "a posse e o uso de dispositivos conectados faz com que a geração C seja composta por consumidores únicos e incríveis, representando desafios e oportunidades para os fabricantes e provedores de conteúdo. A geração C está se engajando em novas maneiras de se comunicar e nelas, há mais pontos de contato para os fabricantes os alcançarem".

Veja abaixo o gráfico (clique para ampliar):

Reprodução

Olhar Digital

 

Nota da Fê:

Matéria interessante, but… que eu saiba nascidos em 70 e 80 pertenceriam à Geração X. Anos 90 seria a Y e ano 00 a Z. Vai saber…

Líbia sofre o roubo de 10.000 antiguidades de valor inestimável

Image634659460060987828Sabemos que os criminosos roubaram 7.700 moedas de ouro, prata e bronze, muitos dos quais foram cunhadas na época de Alexandre, o Grande (século IV aC). Estatuetas também desapareceram e outros objetos de marfim, bronze e vidro, pulseiras, pingentes, colares, anéis, brincos e ornamentos: cerca de 10.000 obras de arte elaboradas por artesões da antiguidade.

A maioria dos tesouros foram encontrados entre 1917 e 1922 durante as escavações do templo de Artemida em Cirene, que era uma colônia grega na costa norte da África.

Pode-se ter uma idéia do valor deste tesouro, dado que uma única moeda semelhante as da coleção foi vendida em um leilão em Paris por 431 mil dólares no outubro do ano passado.

Tradução para o Português [Google] aqui.

 

Nota da Fê:

Perda irreparável. Uma das piores da história. Infelizmente, não a única do ano passado.

[YT] A FESTA DO MONSTRO MALUCO

 

Nota da Fê:

Clássico absoluto da Sessão da Tarde! Dublado e completo. Polegar para cima

Maravilhas que somente a década de sessenta poderia produzir.

Assista no YouTube.

A Vingança de Lucky!

tumblr_lv4jxg5ymB1qbcporo1_1280

 

Pobre Alf! Surprise

Falando nisso… noivorido terminando uma scan do melmaquiano mais famoso da Terra. Smiley piscando Polegar para cima

[YT] SHARP VZ 3000 FULLY FUNCTIONAL GHETTOBLASTER

 

Nota da Fê:

A-há! Braço linear e duas agulhas! Ok. saquei! Faz sentido.

Esse Sharp foi lançado em 1983. Hoje é lendário. Vi ao vivo nas lojas naquele ano mas nunca compreendi como funcionava.

Obrigado ‘VcTubo’ por mais um belo esclarecimento. Polegar para cima

Falando em Toca Discos…

tumblr_lzyrkxo4mI1qdecwbo1_1280

Nota da Fê:

… Nunca entendi como esses toca discos verticais funcionavam. Ultrapassa a minha vã sabedoria.

[YT] Toca Discos a Carvão!

 

Nota da Fê:

E tocando Sex Pistols!

26 de fevereiro de 2012

Ah, Se Saudade Matasse…

Image634658196961998279

25 de fevereiro de 2012

Marca Live será extinta com o Windows 8

Image634657928081946368O nome Live, presente em muitos serviços da Microsoft, será deixado de lado no novo Windows 8.

Segundo o TechCrunch, os novos serviços serão incluídos em aplicações interligadas, com a nova e simples interface Metro e nomes menos complicados. No lugar de Windows Live Mail, os usuários terão o Mail, no lugar da Windows Live Photo Gallery, somente Photos.

Os aplicativos continuarão integrados, como ocorre hoje com a Live, mas serão unificados por uma "Conta Microsoft". O nome Live, no entanto, não desaparecerá por completo. A Xbox Live é uma rede muito consolidada e será integrada ao Windows como a principal porta de entretenimento. A ideia é que o novo sistema substitua o Zune.

Serviços menores, como o Writer e Games for Windows Live, devem ser integrados a outros produtos.

INFO

[YT] Tech : We Are Apple (Leading The Way)

24 de fevereiro de 2012

Einstein ainda está correto! Os neutrinos não viajaram mais rápido do que a luz

Image634656440989399585

No final de setembro de 2011 os cientistas que trabalham no experimento Opera divulgaram que tinham observado neutrinos que viajavam com velocidade superior a da luz. Foi observado que os neutrinos produzidos no CERN e detectados em Gran Sasso na Itália (que estão separados pela distância de  730 km) chegaram 60 nanossegundos antes do esperado. O resultado, desde que foi divulgado, gerou muita polêmica pois era muito estranho tal fenômeno não ter sido observado anteriormente, por exemplo, nas explosões de supernovas, onde eles são produzidos em grande quantidade e alta energia. Sobre isso discuti na minha coluna na Ciência Hoje on line (Quem está correto, Dr. Einstein?).

Contudo, a revista Science, noticiou hoje (23 de fevereiro de 2012) que um problema de conexão entre um GPS e um computador foi a origem do erro na medida do tempo de viagem que os neutrinos realizaram em setembro. A revista cita fontes ligadas ao experimento teriam descoberto o erro.
E curioso notar, que os GPS para funcionarem com absoluta precisão, levam em conta os resultados da Teoria da Relatividade Geral (TRG) de Einstein para corrigir as variações do  fluxo do tempo devido aos efeitos do campo gravitacional da Terra (são correções na ordem de nanossegundos, mas fundamentais para que o sistema funcione). E um dos postulados fundamentais dessa teoria é que a velocidade da luz no vácuo é o limite para todas as velocidades.
De fato, os limites do conhecimento científico se expandem a partir de descobertas extraordinárias. Infelizmente nem sempre elas acontecem da maneira que desejamos.  Erros em experimentos são sempre comuns e fazem parte do aprendizado científico. Contudo, o maior erro talvez foi fazer a divulgação de um dado sem ter a devida verificação e principalmente a reprodução independente dos resultados obtidos e principalmente utilizando a imprensa. Todos os resultados divulgados dessa maneira, nos últimos anos, sempre se mostraram falaciosos, como foi o caso da Fusão a Frio, a clonagem de seres humanos entre outros.
A ciência deve ser construída com base de fatos e teorias que podem sempre ser verificadas por outros cientistas. A pressa, principalmente nesse caso, é inimiga da perfeição.
Para ler a notícia original, no site da Science, acessem esse link

Por Dentro da Ciência

23 de fevereiro de 2012

THE NIGHT STALKER vai para o cinema

Image634655684568102558ATUALIZADO: De acordo com o Deadline, Edgar Wright (Todo Mundo Quase Morto, Scott Pilgrim Contra O Mundo) dirigirá o filme, que será mesmo estrelado por Johnny Depp como Carl Kolchak. Wright deverá criar a linha básica da história, que servirá de base para o roteiro (ainda não há nenhum roteirista vinculado ao projeto).

A produtora Infinitum Nihil, do ator Johnny Depp (quadrilogia Piratas do Caribe), está negociando com a Disney a adaptação cinematográfica da clássica série de horror dos anos 1970, The Night Stalker (no Brasil batizada como Kolchak: Os Demônios da Noite), que começou como dois telefilmes de sucesso, estrelados por Darren McGavin (foto), mas teve uma só temporada entre 1974 e 1975. O próprio Depp, fá da série original, poderá estrelar como o repórter Carl Kolchak, cujas investigações de crimes sempre levam a assassinos “incomuns” - vampiros, zumbis, lobisomens e até mesmo alienígenas. A série foi uma das fontes de inspiração de Arquivo X, e sua influência ainda hoje pode ser notada em programas como Supernatural e Fringe. Uma nova série, com Stuart Townshend como Kolchak, foi exibida em 2005, mas não fez sucesso e teve apenas 10 episódios. A produção do novo filme ficará a cargo de Christi Dembrowski, associada de Depp em sua produtora.

SCI FI do Brasil

Nota da Fê:

Uau!!! Que boa noticia! Applause

Kolchak era muito, muito legal! Morria de medo quando era criança… Rolling on the floor

Meu noivorido não conhecia. Mostrei para ele.  Não deu outra: Virou fã na hora!

É cruzar os dedos para ser um filmão! Dedos cruzados

A Volta do P2P?

Image634655617497686350

22 de fevereiro de 2012

Lembram quando o Blogger era assim?

 

Nota da Fê:

No início não era do Google. Ai o anúncio da compra. Histórico!

Long time ago!

Muito usei!

EUA comemoram 50 anos da ida do primeiro americano ao espaço

Image634654841345895539Nesta segunda-feira (20), os Estados Unidos comemoram 50 anos da ida do primeiro norte-americano a orbitar a Terra. Em 20 de fevereiro de 1962, John Gleen foi escolhido pela Nasa para ir ao espaço, colocando o país em uma corrida acirrada com a União Soviética, que tinha enviado o cosmonauta Yuri Gagarin para o espaço dez meses antes.

Após cinco décadas Gleen culpa a administração do ex-presidente George Bush como responsável pela falta de capacidade da Nasa em não enviar mais pessoas em missões.

O fim do programa de ônibus espaciais no ano passado deixou os Estados Unidos dependente de seu ex-inimigo da Guerra Fria para enviar astronautas à Estação Espacial Internacional, de propriedade conjunta, que fica a 385 quilômetros acima do planeta.

"Lamento que essa seja a maneira como as coisas se desenvolveram", disse Glenn a uma multidão de funcionários antigos e atuais da Nasa e convidados no Complexo de Visitantes do Centro Espacial Kennedy, na noite de sábado, parte de uma série de comemorações do 50o aniversário de seu voo.

"Gastamos mais de US$ 100 bilhões colocando a estação espacial lá em cima. É muito ruim que a administração anterior tenha tomado a decisão de acabar com os ônibus espaciais, então agora temos que recorrer a outro lugar até mesmo para chegar até a nossa estação", disse Glenn, que foi senador democrata de Ohio entre 1975 a 1999.

Alto custo
Os Estados Unidos acabaram com o programa de ônibus espaciais no ano passado devido aos elevados custos operacionais e para liberar fundos para uma nova geração de naves espaciais que podem voar mais longe da Terra. Mais dinheiro teria sido necessário anos antes para que as novas naves estivessem prontas no momento em que as antigas fossem aposentadas.

Glenn aproveitou suas conexões políticas em um retorno muito aguardado ao espaço em 1998, quando, aos 77 anos, ele voou a bordo do ônibus espacial Discovery como participante de uma pesquisa sobre envelhecimento patrocinado pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA.

Agora aos 90 anos, Glenn, um piloto aposentado, disse que o maior benefício do programa espacial dos EUA é a pesquisa científica e elogiou a decisão de prolongar a vida útil da Estação Espacial Internacional para pelo menos 2020, além do previsto para 2015.

"As pessoas se perguntam 'para que serve a pesquisa?' Acho que cada parte dos progressos realizados pelos seres humanos foi feita porque alguém estava curioso sobre o desconhecido", disse Glenn. "Se há uma coisa que aprendemos através da história de nosso país é que o dinheiro gasto em pesquisa básica traz retornos no futuro, muito além do que foi previsto inicialmente", disse ele.

Mistérios da medicina
Embora a pesquisa não tenha sido a razão pela qual Glenn e seus sete colegas do Mercury foram lançados em órbita, os cientistas tinham muitas perguntas sobre o funcionamento do corpo humano no ambiente sem gravidade do espaço.

"As coisas que estávamos investigando nesses primeiros voos parecem tão primitivas agora, que são quase risíveis", disse Glenn. "Os médicos estavam literalmente preocupados que nossos olhos pudessem mudar de forma e nossa visão mudasse o suficiente para que você não pudesse nem mesmo ver o painel de instrumentos", disse.

Scott Carpenter, que seguiu Glenn em órbita três meses depois, disse que engoliu alimento radioativo para que os médicos pudessem ver se o seu corpo poderia metabolizar os alimentos na ausência de gravidade.

"Não tinha sentido, porque você pode comer de cabeça para baixo e processar os alimentos muito bem. Por que não poderíamos fazê-lo da mesma maneira em gravidade zero? Bem, tivemos que provar. Foi-me dado um alimento radioativo em um tubo de creme dental e me disseram para comer na primeira órbita. Era radioativo para que eles pudessem rastrear o seu movimento através do meu corpo", disse Carpenter.

Após Glenn, houve mais duas missões Mercury e três voos Carpenter, pavimentando o caminho para o programa Gemini e, finalmente, o objetivo real do programa espacial humano nascente: o envio de uma tripulação para a Lua. "Apesar de estarmos atrás da União Soviética, fomos capazes de alcançá-los e fazer exatamente o que (o presidente John F.) Kennedy nos disse para fazer", disse Glenn. "Ao fazê-lo, venceríamos os russos na viagem à Lua."

Velho inimigo, novo amigo
Agora é a Rússia que leva norte-americanos ao espaço a bordo da sua nave espacial Soyuz, um serviço que custa mais de US$ 300 milhões por ano à Nasa. A agência espacial dos EUA também está gastando cerca de US$ 3 bilhões por ano para desenvolver uma cápsula e foguete que podem transportar astronautas para à Lua, asteróides, Marte e outros destinos além da estação espacial. O primeiro voo teste tripulado está previsto para 2021.

Enquanto isso, na esperança de quebrar o monopólio da Rússia no transporte de tripulação à estação, a Nasa já investiu US$ 365,5 milhões desde 2010 em seis empresas que trabalham para desenvolver táxis espaciais comerciais. A agência quer US$ 830 milhões para o ano que começa 1o de outubro para manter o trabalho desenvolvido em duas ou mais empresas.

"Espero que alguns desses esforços para recriar o nosso próprio sistema de transporte avancem e não tenham um monte de problemas, porque até então somos dependentes dos russos para nos levar para o espaço", disse Glenn. "Se alguma coisa acontecer com a Soyuz, se tiver que ser interrompido por qualquer razão especial, não temos nenhuma maneira de entrar no espaço. Acabaria com o nosso programa tripulado até podermos inventar novas maneiras de chegar até lá", disse Glenn.

"Há muitas razões por trás de nossa situação atual", acrescentou Carpenter. "Mas a principal delas é o simples fato de que, quando John e eu trabalhamos para este país, os Estados Unidos eram reconhecidos em todo o mundo como uma nação capaz. Mas agora nos tornamos conhecidos em todo o planeta como uma nação que não é mais capaz, e eu lamento isso."

G1

Cientistas da Nasa descobrem planeta composto por água

Um grupo de astrônomos descobriu a existência de um novo tipo de planeta, composto em sua maior parte de água e com uma leve atmosfera de vapor, indicaram nesta terça-feira o Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian e a Nasa.

Trata-se de um planeta fora de nosso sistema solar denominado "GJ1214b", cujos registros foram observados em 2009 graças ao telescópio espacial Hubble da Nasa, e que, segundo recentes estudos de um grupo de astrônomos, tem "uma enorme fração de sua massa" composta de água.

Em nosso sistema solar existem três tipos de planetas: rochosos e terrestres (Mercúrio, Vênus, a Terra e Marte), gigantes gasosos (Júpiter e Saturno) e gigantes de gelo (Urano e Netuno). Por outro lado, existem planetas variados que orbitam em torno de estrelas distantes, entre os quais há mundos de lava e "Júpiteres" quentes.

"Observações do telescópio espacial Hubble da Nasa acrescentaram este novo tipo de planeta", ressaltaram o Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian e a Nasa em seu comunicado, onde explicam os estudos realizados pelo astrônomo Zachory Berta e por um grupo de colegas.

O "GJ1214b", situado a 40 anos luz da Terra, é considerado uma "super-Terra", com 2,7 vezes o comprimento de nosso planeta e sete vezes seu peso. Ele orbita a cada 38 horas ao redor de uma estrela vermelha anã e possui temperatura estimada de 450 graus Fahrenheit (232 graus Celsius).

Em 2010, um grupo de cientistas liderado por Jacob Bean havia indicado que a atmosfera de "GJ1214b" deveria ser composta em sua maior parte por água, depois de medir sua temperatura. No entanto, suas observações também podem ter sido feitas em razão da presença de uma nuvem que envolve totalmente o planeta.

As medições e observações efetuadas por Berta e por seus colegas quando o "GJ1214b" passava diante de seu sol permitiram comprovar que a luz da estrela era filtrada através da atmosfera do planeta, exibindo um conjunto de gases.

O equipamento do Hubble permitiu distinguir uma atmosfera de vapor e os astrônomos conseguiram calcular depois a densidade do planeta a partir de sua massa e tamanho, comprovando que tem "muito mais água do que a Terra e muito menos rocha".

mar/dm

 

Nota da Fê:

Onde há água... há vapor! Smiley mostrando a língua

232 graus Celsius…lugarzinho convidativo!

21 de fevereiro de 2012

Pirate Bay está sob ameaça no Reino Unido

Image634654627515955165Uma alta corte de Londres emitiu uma decisão, nesta segunda-feira, 20, em que diz que o Pirate Bay realmente viola leis de direito autoral em larga escala, aumentando as chances de o site ser bloqueado em todo o Reino Unido.

O processo, movido pelas principais empresas da indústria fonográfica do Reino Unido, exige que os provedores de internet impeçam seus usuários de acessarem o site no país. Mas a decisão judicial sobre o bloqueio só deve ser tomada em junho.

Nesta segunda-feira o juiz apenas sentenciou apenas que tanto o Pirate Bay quanto seus usuários  compartilham músicas protegidas por direitos autorais fora dos termos previstos por lei. Segundo o texto, o site, mais do que apenas permitir que violações ocorram, possui papel ativo na quebra de direitos autorais.

As gravadoras também afirmam que o site ignorou repetidas vezes pedidos de retirada de conteúdos ilegais do ar.

O Pirate Bay é um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos do mundo — com mais de 300 milhões de usuários no mundo, 3,7 milhões deles do Reino Unido, segundo a comScore — e está sofrendo um processo judicial semelhante na Holanda, onde os provedores de internet foram obrigados a bloquear o acesso ao site para seus clientes.

Estadão

Homem Aranha 1967 – Abertura [Canção em Português]

Homem-Aranha, Homem-Aranha
Ai vem o Homem-Aranha
Com a teia infernal
Em combate contra o mal
Cuidado, ele e o Homem-Aranha
Ele e forte, e de morte
E ativo e radioativo
Tem balanço, é um avanço
E pra frente, diferente
Eh-ei, ele e o Homem Aranha
Na calada da noite sempre alerta ele está
Não tente atacar, que o Aranha chegou
Homem Aranha, Homem Aranha
Ai vem o Homem Aranha
Aventura ele tem
Venha ver você também
Cuidado, teia da confusão
Ele tem pela mão
Ele é o Homem Aranha

Nota da Fê:

Esse eu assistia religiosamente. É nessas horas que me sinto velha pra caramba! Laughing

[YT] U2 Live at Glastonbury 2011

 

Nota da Fê:

Show completo. Polegar para cima

[YT] Bob Dylan - Blowing in the wind (legendado)

Para Matar a Saudade – Atari 2600

Image634653925659568432

20 de fevereiro de 2012

Nós estamos no século 21 e temos o pior som que já ouvi’, diz Neil Young

Image634653592247048898Neil Young está irritado com a música atual. O músico de 66 anos criticou veementemente o novo modo de fazer e distribuir em uma entrevista publicada pela MTV News. Young está preocupado com a perda de qualidade sonora na música digital, difundida com muito mais facilidade que os discos, através de aparelhos que reproduzem arquivos compactos, como o MP3. “Eu não gosto. Isso me deixa nervoso. Não a qualidade da música, mas nós estamos no século 21 e nós temos o pior som que eu já ouvi. Cadê os nossos gênios? O que aconteceu?”, questiona.

Para Neil Young, esse é o motivo para as pessoas ouvirem estilos tão diferentes hoje em dia, já que é possível escutar apenas a base e a batida das canções. “É como Occupy Music – os 5 por cento, que é o que somos agora. Nós costumávamos ser 100 por cento”.

Apesar da crítica à música pós-moderna, Neil Young alegou que admira novas bandas, como Mumford and Sons e My Morning Jacket, que seguem, assim como ele, com influências do folk.

Jornal da Tarde

19 de fevereiro de 2012

Uma Dessas ia Bem na Minha Sala…

Image634652144969075017

16 de fevereiro de 2012

[YT] SIMBAD E O OLHO DO TIGRE [DUBLADO-COMPLETO]

Nota da Fê:

Quando iniciei o blog em 2006 esse filme era um dos mais procurados. Dublagem primorosa!

Meu post na época: Simbad e o Olho do Tigre (1977)

15 de fevereiro de 2012

[YT] EM NOME DE DEUS (Stealing Heaven)

  No século XII, Abelard (Derek De Lint), um respeitado filósofo e professor em Paris, é contratado para ser o tutor da bela e inteligente Heloise (Kim Thomson). Rapidamente eles se apaixonam, mas precisam manter seu relacionamento escondido de todos porque Abelard está comprometido com o celibato.

Nota da Fê:

Filme belíssimo! Altamente recomendado. Polegar para cima

[YT] Viagem aos Limites do Universo [Completo]

11 de fevereiro de 2012

[YT] Albert Einstein - History Channel

Compartilhamento não é Crime!

Nota da Fê:

Texto elucidativo do amigo Sabino postado originalmente no blog Fantasma Brasil.

Image634645864400925254

DOWNLOAD DE FILMES, HQ'S E LIVROS PARA USO PRIVADO NÃO É CRIME!

A utilização dos sites de hospedagem no compartilhamento de arquivos é totalmente legal!

Olá amigos, estamos aqui novamente para nestes tempos difíceis quando acontece uma abominável campanha contra sites e blogs, tentar trazer uma luz, para evitar que as pessoas continuem confusas em virtude da desinformação, ocasionada pelos próprios meios repressores.

Para isso buscamos um esclarecimento através de um consultor jurídico a fim de desmistificar definitivamente o que é, e o que não é pirataria.

O artigo é bem técnico porque é estritamente baseado na lei, mas vale a pena ler e ficar realmente conhecendo de forma clara eliminando de vez a confusão a respeito deste assunto:

"Quando falamos de PIRATARIA deixamos bem claro que não podemos confundir PIRATARIA com o COMPARTILHAMENTO DE ARQUIVOS. Sim, porque o que é feito em centenas de milhares de blogs existentes é o “Compartilhamento de Arquivos”, sem o intuito de ter lucro direto ou indireto.

Compartilhar arquivo sem a intenção de lucro direto ou indireto é legal, além de funcionar como divulgação da obra, que normalmente acaba ganhando republicações favorecendo a industria editorial

Apesar de fazer parte do cotidiano dos brasileiros de todas as classes sociais, a pirataria ainda é fonte de muitos erros, tabus e mistificações. Confundem-se atividades tão distintas quanto a clonagem em larga escala de produtos patenteados, para comércio não autorizado, com a simples cópia doméstica desses mesmos produtos para compartilhamento entre particulares.

Divulga-se ser crime toda utilização de obra intelectual sem expressa autorização do titular num país onde até o presidente da República confessa fazer uso de cópias piratas. Comparam-se cidadãos de bem a saqueadores sanguinários do século 18. Os delatores fundamentam-se, invariavelmente, no Título III do Código Penal Brasileiro, Dos Crimes Contra a Propriedade Imaterial, artigo 184, que trata da violação dos direitos de autor e os que lhe são conexos.

Image634645865231782777Cidadãos de bem são comparados aos saqueadores sanguinários do século XVIII

São comuns assertivas do tipo “é proibida a reprodução parcial ou integral desta obra”, “este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído”, “pirataria é crime”, “denuncie a falsificação”. É proibido, ainda, “editar”, “adicionar”, “reduzir”, “exibir ou difundir publicamente”, “emitir ou transmitir por radiodifusão, internet, televisão a cabo, ou qualquer outro meio de comunicação já existente, ou que venha a ser criado”, bem como, “trocar”, “emprestar” etc., sempre “conforme o artigo 184 do Código Penal Brasileiro”. Não é esta, todavia, a verdadeira redação do artigo. Omitem a expressão “COM INTUITO DE LUCRO”, enfatizada pelo legislador em todos os parágrafos:

§ 1o Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro direto ou indireto, por qualquer meio ou processo, de obra intelectual, interpretação, execução ou fonograma, sem autorização expressa do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente: Pena – reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa.

§ 2o Na mesma pena do § 1o incorre quem, com o intuito de lucro direto ou indireto, distribui, vende, expõe à venda, aluga, introduz no País, adquire, oculta, tem em depósito, original ou cópia de obra intelectual ou fonograma reproduzido com violação do direito de autor, do direito de artista intérprete ou executante ou do direito do produtor de fonograma, ou, ainda, aluga original ou cópia de obra intelectual ou fonograma, sem a expressa autorização dos titulares dos direitos ou de quem os represente.

§ 3o Se a violação consistir no oferecimento ao público, mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro sistema que permita ao usuário realizar a seleção da obra ou produção para recebê-la em um tempo e lugar previamente determinados por quem formula a demanda, com intuito de lucro, direto ou indireto, sem autorização expressa, conforme o caso, do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor de fonograma, ou de quem os represente: Pena – reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa.

§ 4o O disposto nos §§ 1o, 2o e 3o não se aplica quando se tratar de exceção ou limitação ao direito de autor ou os que lhe são conexos, em conformidade com o previsto na Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, nem a cópia de obra intelectual ou fonograma, em um só exemplar, para uso privado do copista, sem intuito de lucro direto ou indireto.

Tanto o objeto da lei é “o intuito de lucro”, e não simplesmente a cópia não autorizada, que CDs, VCDs, DVDs ou VHSs mesmo originais não poderão ser exibidos ao público sem autorização expressa do titular do direito.

Se o comércio clandestino (camelôs, estabelecimentos comerciais e sites que vendem cópias não autorizadas) é conduta ilegal, porém o mesmo não se pode afirmar sobre cópias para uso privado e o download gratuito colocado à disposição na internet. Só é passível de punição:

Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro direto ou indireto, por qualquer meio ou processo, de obra intelectual, interpretação, execução ou fonograma, sem autorização expressa do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente (art. 184, § 1º).

Contrario sensu, é permitida a cópia integral de obra intelectual, sem autorização do detentor do direito autoral, desde que não se vise lucro, seja direto, seja indireto, mas é proibida a cópia não autorizada, mesmo parcial, para fins lucrativos. Assim, não comete crime o indivíduo que compra discos e fitas “piratas”, ou faz cópia para uso próprio; ao passo que se o locador o fizer poderão configurar-se violação de direito autoral e concorrência desleal.

Pelo Princípio da Reserva Legal, segundo o qual não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia fixação legal[1], a cópia integral não constitui sequer contravenção. No Brasil, quem baixa arquivos pela internet ou adquire produtos piratas em lojas ou de vendedores ambulantes não comete qualquer ato ilícito, pois tais usuários e consumidores não têm intuito de lucro.

O parágrafo segundo do artigo supracitado reforça o caráter econômico do fato típico na cessão para terceiros:

§ 2º - Na mesma pena do § 1o incorre quem, com o intuito de lucro direto ou indireto, distribui, vende, expõe à venda, aluga, introduz no País, adquire, oculta, tem em depósito, original ou cópia de obra intelectual ou fonograma reproduzido com violação do direito de autor, do direito de artista intérprete ou executante ou do direito do produtor de fonograma, ou, ainda, aluga original ou cópia de obra intelectual ou fonograma, sem a expressa autorização dos titulares dos direitos ou de quem os represente.

E assim seguem os parágrafos subseqüentes. Todos repetem a expressão “com intuito de lucro direto e indireto”, expressão esta, como visto, que desaparece sempre que a lei é invocada na defesa dos interesses da Indústria.

Por conseguinte, mais coerente seria denominar-se pirata apenas as cópias feitas com intuito de lucro, direto ou indireto. Este último, diferentemente da interpretação apressada dos profanos no afã de imputar o consumidor, não é a economia obtida na compra de produtos ilegais. Ocorre lucro indireto, sim, quando gravações de shows são exibidas em lanchonetes e pizzarias, ou executa-se som ambiente em consultórios e clínicas, sem que tal reprodução, ainda que gratuita, fosse autorizada. A cópia não é vendida ou alugada ao consumidor, mas utilizada para promover um estabelecimento comercial ou agregar valor a uma marca ou produto.

A cópia adquirida por meios erroneamente considerados ilícitos para uso privado e sem intuito de lucro não pode ser considerada pirataria; sendo pirataria, então esta não é crime.

As campanhas anti-pirataria são cada vez mais intensas e agressivas e os meios de comunicação (muitos dos quais pertencentes aos mesmos grupos que detêm o monopólio sobre o comércio e distribuição de músicas e filmes) cumprem seu papel diário de manter a opinião pública desinformada.

Nenhum trecho de livro poderá ser reproduzido, transmitido ou arquivado em qualquer sistema ou banco de dados, sejam quais forem os meios empregados (eletrônicos, mecânicos, fotográficos, gravação ou quaisquer outros), salvo permissão por escrito, apregoam a Associação Brasileira de Direitos Reprográficos (ABDR) e as editoras. De fato, na quase totalidade das obras impressas, o leitor depara-se com avisos desse tipo:

Todos os direitos reservados, incluindo os de reprodução no todo ou em parte sob qualquer forma. Nenhuma parte desta obra poderá ser reproduzida ou transmitida por qualquer forma e/ou quaisquer meios sem permissão escrita da Editora.

Novamente, não é o que a legislação estabelece. O artigo 46 da Lei dos Direitos Autorais impõe limites ao direito de autor e permite a reprodução, de pequenos trechos, sem consentimento prévio. E o parágrafo quarto, acrescentado pela Lei n° 10.695 ao artigo 184 do Código Penal Brasileiro, autoriza expressamente a cópia integral de obras intelectuais, ficando dispensada, pois, a “expressa autorização do titular”:

Não constitui crime “quando se tratar de exceção ou limitação ao direito de autor ou os que lhe são conexos” nem “a cópia em um só exemplar, para uso privado do copista, sem intuito de lucro direto ou indireto”.

Ao mesmo tempo em que fatos são distorcidos, são omitidas as inúmeras vantagens de livros e revistas digitalizados, como seu baixo custo de produção e armazenamento, a enorme facilidade de consulta que o formato proporciona e seus benefícios ecológicos.

Seguindo a cartilha da administração Bush, órgãos como a Federação dos Editores de Videograma (Fevip) e o Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP) foram ainda mais longe ao associar todos os piratas às quadrilhas de crime organizado e ao terrorismo internacional. Também essas entidades ignoram, olvidam ou omitem que o lucro seja fator determinante para tipificação da conduta ilícita.

O ápice, até o momento, dessa verdadeira Cruzada antipirataria foi atingido com a campanha mundial da Associação de Defesa da Propriedade Intelectual (Adepi) divulgada maciçamente nas salas de cinema, fitas e DVDs (inclusive “piratas”). Embalado por uma trilha sonora agitada, o video clip intercala diversas cenas de furto com as seguintes legendas: “Você não roubaria um carro”. “Você não roubaria uma bolsa”. “Você não roubaria um celular”. Sempre inquieta, a câmera flagra diversos furtos simulados, finalizando com atores furtando uma locadora e comprando filmes de um camelô, imagens que antecedem a acintosa pergunta: “Por que você roubaria um filme?”. O silogismo é barato e a conclusão, estapafúrdia: “Comprar filme pirata é roubar. Roubar é crime. Pirataria é crime!”.

Repita-se: comprar filme pirata é conduta atípica. E mesmo se fosse crime, não seria “roubo”. As cenas da própria campanha, conforme dito, são simulações pífias de furtos, não de roubos. Na definição do Código Penal Brasileiro, em seu artigo 157, roubar é subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça, violência ou outro meio que reduza a possibilidade de resistência da vítima.

A premissa “comprar filme pirata é roubar” é despida de qualquer sentido e de fundamentação legal, tratando-se de propaganda falsa, caluniosa e abusiva, sujeita a sanções do Conar[5] e persecução criminal. Veja-se os arts. 138 e 37 do Código Penal e do Código de Proteção e Defesa do Consumidor, respectivamente:

Calúnia: Art. 138 - Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime: pena - detenção, de seis meses a dois anos, e multa. § 1º - Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.

Art. 37 - É proibida toda publicidade enganosa ou abusiva. § 1° É enganosa qualquer modalidade de informação ou comunicação de caráter publicitário, inteira ou parcialmente falsa.

Portanto, se houver crime é o perpetrado pela abominável campanha, que por sua vez vem somar-se a outros embustes, como o criado pela União Brasileira de Vídeo (UBV), de que produtos piratas danificariam os aparelhos, quando na verdade quem os danifica é a própria indústria ao instalar códigos de segurança que tentam impedir cópias.

A instalação de dispositivos de segurança pela própria industria danificam os aparelhos

Como cidadãos de bem, e providos de bom senso, só podemos ser "contra a pirataria", pois isto prejudica a industria e os autores intelectuais, pensar diferente é "dar um tiro no próprio pé"; agora o que é necessário é deixar bem definido, o que é pirataria e o que não é pirataria".

A pirataria prejudica a criação de novas obras e acaba com a industria do intretenimento

Ai está meus amigos, espero que todos tenham tido a paciência de ler o artigo, porque só conhecendo os fatos, e as leis, é que poderemos nos defender destes ataques maléficos, que distorcem a lei para garantir seus lucros exagerados; e barram a divulgação da cultura para todos os níveis e classes sociais.

Fantasma Brasil

A volta do Quadrinhos Antigos!

Texto de Chesco36 do Gibis Clássicos

Bem pessoal, e com muita alegria, que a partir de hoje, o Quadrinhos Antigos esta de volta...o Fernando me pediu para que cuidasse do blog, o que prontamente aceitei, pois nao aceitava a ideia do fim desse, que foi o blog que me incentivou a ter o meu proprio, visando compartilhar as revistas, as quais passei minha infancia, juventude, e porque nao dizer, mesmo agora aos 42 anos, me deliciando com cada postagem desse ou de um blog amigo, lendo revistas que nao tive oportunidade de ler a tantos anos atras.Nao sou muito bom com palavras, mas gostaria de demonstrar o quanto estou feliz por ver o QA ativo novamente!! Peço a todos os que podem, que colaborem, com scan de alguma revista que possua, com os comentarios que tambem sao muito importantes, com a divulgaçao do blog em outras comunidades, pois so assim manteremos viva e acesa a chama daquilo que tanto amamos que sao os quadrinhos. Att. Chesco36

 

Nota da Fê:

Good News! Bom ver que ainda há amizade e solidariedade na blogsfera. Applause

Assim que puder envio uma scan! Polegar para cima

Foto histórica de um homem que se recusou a fazer a saudação nazista cai na internet e faz sucesso nas redes sociais

Image634645305239811004Contrariando a atração à frivolidade das mensagens virais que tomam a internet, uma antiga foto de um homem que se recusou a fazer o cumprimento nazista se espalha pelo Facebook e faz sucesso na rede mundial de computadores. Enquanto dezenas de pessoas saúdam o Terceiro Reich, o homem permanece de braços cruzados e com um semblante de desdém.

A imagem foi feita em 1936 – em plena Alemanha Nazista – no Porto de Hamburgo, onde a multidão se aglomerava para assistir ao lançamento de um navio militar. O cidadão se chamava August Landmesse e era operário do estaleiro de Hamburgo. Apesar de ter ingressado no Partido Nazista em 1931, ele foi expulso em 1935 por ser casado com uma judia. A união lhe valeu duas filhas e a prisão por “desonrar a raça ariana”. Em 1941, August foi libertado e enviado à guerra. Em pouco tempo no campo de batalha foi dado como desaparecido em combate e declarado morto. Já a mulher de August teria sido presa pela Gestapo, a polícia secreta nazista, e depois desaparecido.

A história veio à tona apenas em 1991, quando August foi identificado. Ao ver a foto num jornal alemão, Irene, uma de suas filhas, o reconheceu. Enquanto sua irmã foi morar com a avó materna, Irene foi enviada a um orfanato e depois adotada. Em 1996, ela escreveu um livro contando a história da família.

A imagem, que já foi curtida quase 100 mil vezes e compartilhada outras 40 mil, foi publicada no último sábado (dia 4) na página do Facebook do movimento Senri No Michi – uma organização criada após o terremoto e o tsunami de 2011 do Japão, com o objetivo de divulgar ações de caridade.

A coragem de dizer não - Revista de História

[YT] Reconstrução da Roma Antiga

Vem aí ESPAÇO: 2099

Mais um para a lista de reboots/remakes: ITV Studios America e HDFILMS (esta, a produtora responsável pela recente refilmagem de V- A Batalha Final) anunciaram que pretendem lançar uma versão contemporânea da série inglesa Espaço: 1999, produzida nos anos 1970 por Gerry e Sylvia Anderson. Com duas temporadas e estrelada por Martin Landau, Barbara Bain e Nick Tate, ela acompanhava as aventuras dos habitantes da base lunar Alpha, após um catastrófico acidente nuclear que tirou a Lua da órbita da Terra e lançou-a em uma jornada interestelar. Pode ser que a nova versão, que terá o título atualizado para Espaço: 2099, explique como a Lua pode viajar tão rápido a ponto de alcançar outros sistemas estelares, mas ao mesmo tempo devagar o suficiente para que os colonos façam contato com civilizações extraterrestres. O produtor executivo será Jace Hall, e o projeto ainda não foi negociado com nenhuma rede de TV.

SCI FI do Brasil

Nota da Fê:

Essa semana mesmo assisti a um episódio da série clássica. Um remake pode ser bem interessante.

[YT] A verdadeira história do Partenon



Nota da Fê:

Um filme de Costas Gavras. Narração: Lydia Koniordou

10 de fevereiro de 2012

História da Representação Gráfica do Átomo

xlg_picture_history_of_atom_0xlg_picture_history_of_atom_1xlg_picture_history_of_atom_2

PICTURE HISTORY of the ATOM

[YT] Monty Python - A vida de Brian

 

 

Nota da Fê:

Completo e legendado!  Polegar para cima

Para muitos [including me…] a melhor comédia de todos os tempos.

9 de fevereiro de 2012

Executivo da Wikipédia discursa de pijama na Campus Party

Image634644052903519752Executivo da Wikipédia discursa de pijama na Campus Party (Foto: Cristiano Sant'Anna/Divulgação)

O blecaute que tirou a Wikipédia em língua inglesa do ar no dia 18 de janeiro foi uma iniciativa que partiu da comunidade que mantém o site, segundo Kul Wadhwa, responsável pela área de dispositivos móveis da Fundação Wikimedia.

Vestido de pijama, Wadhwa se apresentou na Campus Party nesta quinta-feira (9). O evento de tecnologia acontece em São Paulo até domingo (12). “Tenho projetos para de noite, de madrugada. Por isso estou de pijama", disse.

O executivo falou sobre o blecaute do Wikipédia em inglês, que ficou fora do ar durante 24 horas em protesto contra o Sopa e o Pipa, projetos de lei antipirataria que eram discutidos nos EUA. "Acompanhei a discussão desde o início, e nós chegamos até atrasados, em relação à comunidade", disse. "É a comunidade que controla a Wikipédia. Nós trabalhamos para vocês!", afirmou, completando que houve uma preocupação quanto ao controle da informação.

Wadhwa disse não querer passar um ponto de vista político sobre o assunto, e sim provar que a tecnologia deve ser usada para amplificar a voz de quem quer expressar alguma opinião. "Esse blecaute representa o poder das pessoas."

O representante da Wikipédia também falou sobre o Acta, acordo que quer propor um padrão antipirataria internacional. "Qualquer lei que seja feita sem ouvir o povo é ruim. Não estamos sendo ouvidos e precisamos mudar isso", afirmou.

Apenas 2% dos usuários da Wikipédia em português já fizeram ao menos uma contribuição ao site

Dados brasileiros
O executivo da Fundação Wikimedia reclamou sobre a participação do Brasil na produção da Wikipédia em português. "O Brasil precisa ser mais ativo. Estamos contratando mais pessoas aqui e investindo no país, mas a iniciativa precisa partir da comunidade", disse. Wadhwa citou uma pesquisa que revela que apenas 2% dos usuários da Wikipédia em português já fizeram ao menos uma contribuição ao site – no mundo, essa porcentagem sobe para 6%.

Entre os planos da Wikipédia para o Brasil também está fazer acordos com operadoras de telefonia para que o acesso à enciclopédia seja gratuito – assim, usuários não precisariam pagar pelo trafego de dados necessários para o acesso. Segundo Wadhwa, acordos semelhantes já foram feitos na África e no Oriente Médio e o programa foi batizado de "Wikipédia zero".

G1

Nota da Fê:

É isso aí… Faço parte dos 2% que contribuem ou contribuíram com o site e gostaria que a Wiki Brasil fosse mais participativa. Do jeito que é hoje, tá feia a coisa. Infelizmente é um reflexo da péssima qualidade do nosso ensino, da desinformação e falta de interesse. Isso precisa mudar!

[YT] Market Square Heroes - Marillion - (Legendado - Português)

 

Nota da Fê:

Em tempos de canções tão ‘complexas’ quanto 'Ai, se eu te pego’ não dá saudade desses tempos?

[YT] Meu nome é Optimus Pendrive



Nota da Fê: Optimus Pendrive por... Optimus Prime!!! Aka Guilherme Briggs! Smiley de boca aberta

A blogosfera "moleque" morreu? Jornalistas e blogueiros discutem tema na Campus

Nota da Fê: Colegas blogueiros, um conselho: Assistam ao vídeo. Debate deveras interessante. Eu e o meu irmão já conversamos muito sobre isso. Somos blogeiros ‘old school’. Ou seja, mantemos blogs sem fins lucrativos ‘just for fun’.  Mesmo com mais de um milhão de acessos nunca cogitei por anúncios ou banners de doação no Vintage69.  Se o serviço fosse pago, ok. Mas não é. Iria contra os meus princípios. Acho que a coisa periga complicar e perder a graça e a espontaneidade quando tem grana envolvida. Já vi muitos sites, blogs e fóruns bons fecharem por causa da velha cobiça humana. But, essa é só a minha opinião. Sobre os blogs estarem ameaçados, concordo totalmente.

Da Campus Party, São Paulo — “Comecei a ver que tinha potencial financeiro.” Com essas palavras, o fundador e editor-chefe do Tecnoblog, Thiago Mobilon (portanto, meu chefe) iniciou as discussões sobre a profissionalização da blogosfera no Brasil. O debate faz parte da programação sobre mídias sociais da Campus Party, com moderação do jornalista e blogueiro Alexandre Inagaki. Pedro Burgos, coleguinha do Gizmodo Brasil, Clara Averbuck, do portal R7, Cora Rónai, jornalista de O Globo, e Carlos Merigo, do Brainstorm 9, também participaram da discussão.

Mobilon conta que no início o dinheiro proveniente do blog servia para coisas simples, como adquirir um computador ou um celular. “Equivalia a um salário de interior”, diz o fundador do Tecnoblog nascido em Americana, a 150 km de São Paulo.

Debate sobre blogs na Campus

“Eu comecei a perceber que parecia com a Folha de São Paulo”, afirma Carlos Merigo, responsável por um dos blogs mais acessados do país – especializado em propaganda e publicidade. O blogueiro afirma que é preciso ter identidade própria na hora de começar a escrever um artigo. “Tem gente que arrisca um negócio próprio partindo do nada. Eu não tive coragem de chegar a tanto.” Há dois anos Merigo deixou o trabalho em uma grande agência de publicidade para tocar o B9 como seu único e principal trabalho. “Eu comecei a trabalhar de casa. Mas quando comecei a enlouquecer um pouco saí para um escritório.”

Atualmente o site de Merigo tem um escritório próprio de onde ele trabalha, motivo para acordar, colocar a roupa certa e sair de casa.

Cora Rónai, de acordo com o mediador Inagaki, abriu as portas para a blogosfera brasileira. Começou como colunista de tecnologia do finado (em papel) Jornal do Brasil e segue como blogueira “tradicional”, do tipo que conta suas histórias pessoais no blog. “Hoje é muito mais complicado angariar leitores para o seu blog; no Facebook é tudo mais fácil”, coloca a jornalista citando a rede social que na semana passada requereu oferta pública de ações (IPO na sigla em inglês) com avaliação de que a empresa consiga US$ 100 bilhões.

“Se eu posto algo no Facebook, consigo muito mais comentários do que no meu blog pessoal”, instiga Inagaki sobre como os comentários se davam no início da blogosfera moleque. Ele mantem o Pensar Enloquece, Pense Nisso depois de idas e vindas, prometendo mudanças para o ano corrente.

Cora conta que agora os blogs são aceitos socialmente. Os blogueiros são convidados para eventos como o São Paulo Fashion Week, principal divulgação da moda brasileira. No início não era assim, com distinção entre jornalistas e blogueiros.

“Nem toda empresa quer que o jornalista venha com sua opinião pessoal para o blog. Especialmente em época de eleições. Situação confusa que já deu até demissão.” – Cora Rónai

Falando da transição do impresso para o meio digital online, Clara Averbuck conta que começou a espalhar seus textos na época de mIRC. Depois veio o Cardoso Online, lista que no fim de 2001 tinha cerca de 5 mil assinantes (de acordo com a escritora). “Isso começou antes e por email.”

Clara diz que se cansa de fazer blogs e desiste. Passam-se três meses e novamente a escritora volta a atualizar seu espaço na rede. E deixa bem claro que não escreve para qualquer um: “Quem quer lê, quem não quer pode ir para outro blog. O blog é aquilo que o blogueiro quer que ele seja. Demorou, mas as pessoas se tocaram disso.”

“Em 2008 chegou uma proposta animal com carteira assinada e eu topei.” Pedro Burgos, editor-chefe do Gizmodo Brasil, diz que desde aquela época mudou muito. Por exemplo, nos Estados Unidos a lista de veículos mais acessados comporta diversos blogs. “É importante que a gente tenha opinião, por mais que os leitores discordem disso. Há jornalistas que em evento dizem que um produto é uma merda, mas depois no artigo publicado em grande portal afirma sobre ‘promessas’ do dispositivo.”

Rónai discorda de Burgos. Diz que chegou à conclusão de que o jornal falaria bem dos produtos que fossem bons. “Quando a coisa é ruim nós ficamos quietos. Prefiro elogiar o produto de qualidade no jornal porque o espaço é limitado. É importante nos lembrarmos do que aconteceu na grande imprensa, mas não tinha cara de jornalismo, como o caderno ‘Informática Etc’ do jornal”.

Outro assunto discutido no debate foi a “briga” entre a velha mídia e a nova mídia. Foi lembrada a primeira edição da Campus, quando os jornalistas ficavam em uma área de imprensa com recursos a mais. Devido a isso, o ambiente ganhou o apelido de “bolha” e teve a visita de um blogueiro vestido de dinossauro para simbolizar os tempos áureos dos jornalistas.

“O blog começa a se tornar relevante em meio a montes de canais de conteúdo quando você encontra nele um ponto de vista interessante com texto peculiar.” – Alexandre Inagaki

Atualização às 18h15

A organização da Campus Party publicou o vídeo do debate no YouTube (dica do leitor @cleytoncoro). Assista abaixo.

http://www.youtube.com/watch?v=VDhI_PHZmkU
(Vídeo do YouTube)

Tecnoblog

Arte mais antiga do mundo tem 42 mil anos

Image634643479219793402De acordo com novas análises, as imagens que você vê acima são as primeiras pinturas já feitas por seres humanos. Os desenhos foram pintados mais de 42 mil anos atrás, e estão localizados nas Cavernas de Nerja, em Málaga, Espanha. Esses simples desenhos podem mudar nossas ideias sobre a evolução da humanidade.

Até agora, arqueólogos acreditavam que a arte mais antiga tinha sido criada no Período Aurignaciano, por seres humanos modernos. São pinturas de 32 mil anos de idade.

A nova descoberta pode revolucionar nossa compreensão da história, cultura e evolução. “Nossas últimas descobertas mostram que os Neandertais decoravam seus corpos com tinta e tinham um senso estético. Isso é uma revolução científica porque, até agora, nós temos atribuído aos Homo sapiens a conquista da arte, mostrando o homem de Neandertal quase como um macaco”, disse o líder do estudo, José Luis Sanchidrián.

Os pesquisadores acreditam que a caverna em que foram encontrados os desenhos era um dos últimos pontos da Europa em que os Neandertais – que viveram entre 120 mil a 35 mil anos atrás – procuraram refúgio. [Diario Cordoba]

Arte mais antiga do mundo tem 42 mil anos

8 de fevereiro de 2012

Cavaleiros do Zodíaco tem primeira imagem divulgada!

Nota da Fê: Thanks a amiga Fernanda pela dica!

Image634643187346012453

Desde que o vídeo de um suposto filme baseado na série animada Saint Seiya, mais conhecido como Cavaleiros do Zodíaco no Brasil, foi exibido durante a Jump Festa 2010 no Japão, os fãs estão de orelhas em pé esperando por novidades.

Agora, o longa-metragem em computação gráfica foi anunciado oficialmente pela Toei Animation, dona dos direitos da série, e até ganhou site oficial e a primeira imagem, que você pode ver aqui.

A trama deve recontar a origem de Seiya e dos cavaleiros de Atena, o que permite "novas possibilidades", de acordo com o comunicado oficial.

Cavaleiros do Zodíaco nasceu como mangá de Masaki Kurumada e fez muito sucesso nos anos 1990 como anime. Ao longo do último ano, a franquia ganhou um videogame chamado Saint Seiya - Sanctuary Battle e uma nova série para TV, Saint Seiya Omega, anunciada nesta semana, que estreia em abril nos Estados Unidos e conta com personagens totalmente novos.

Saint Seiya - The Movie ainda não tem data de lançamento.

MSN Entretenimento

[M] Reis da polêmica - Descobertas arqueológicas trazem novas e controversas visões da Bíblia. O reino de Davi e Salomão foi um império glorioso ou um vilarejo?

Nota da Fê: Em tempos de seriados bíblicos na TV, um bom texto para estudo e reflexão. Retirado da edição 126 da National Geographic Brasil. Enjoy! Polegar para cima

Aviary viajeaqui-abril-com-br Picture 1

por Robert Draper

Sentada em um banco na Cidade Velha de Jerusalém, a mulher de rosto de lua cheia, toda agasa-lhada no outono gelado, come uma maçã enquanto examina a construção que lhe trouxe fama e dissabores. Não parece bem uma construção, pois são apenas algumas paredes baixas de pedra ao lado de um antigo muro de arrimo terraceado de 20 metros de altura. Mas, como a mulher é arqueóloga e essa é a sua descoberta, seus olhos veem o que pode ser imperceptível a outros. Ela vê a posição do edifício, em uma escarpa na parte norte da Cidade Velha de onde se avista abaixo o vale de Kidron, em Jerusalém, e imagina: é um mirante ideal para observar um reino. Visualiza os carpinteiros e pedreiros fenícios que erigiram a obra no século 10 a.C. E também os babilônios que a destruíram quatro séculos depois. Acima de tudo, imagina o homem que ela supõe ter encomendado e ocupado o edifício. Seu nome era Davi. Essa, ela declarou ao mundo, é muito provavelmente a casa mencionada no Livro 2 de Samuel: "Hirão, rei de Tiro, enviou [...] carpinteiros e pedreiros, que edificaram uma casa a Davi. Reconheceu Davi que o Senhor o confirmara rei sobre Israel, e que exaltara o seu reino por amor do seu povo".

O nome da mulher é Eilat Mazar. Mastigando e olhando, ela é a calma em pessoa, até que aparece um guia turístico. É um moço israelense acompanhado de um punhado de turistas que se plantam diante do banco para ver a construção. Assim que ele abre a boca, Eilat já sabe o que virá - o guia, ficamos sabendo, é seu ex-aluno de arqueologia. Traz turistas ao local e lhes diz, com toda a convicção, que aquele NÃO é o palácio de Davi e que todo o trabalho arqueológico na cidade de Davi não passa de um oportuno expediente dos israelenses de direita para expandir suas reivindicações territoriais na região e, com isso, desalojar palestinos.

De repente, Eilat se levanta de chofre e vai pisando duro até o guia turístico. Passa-lhe um sabão, metralhando-o no ritmo staccato da língua hebraica. Ele, passivamente, só a olha. Os turistas fitam-na, boquiabertos, até que ela vai embora furiosa. "É preciso ser muito forte", murmura Eilat enquanto anda. "Parece que todo mundo quer destruir o que a gente faz." A arqueóloga entra no carro. "Essa tensão me deixa doente", comenta, com ar abatido. "Está encurtando a minha vida."

Em nenhuma outra parte do mundo a arqueologia lembra tanto uma rixa de dois times arquirrivais. E uma das razões disso é Eilat Mazar. Quando ela anunciou em 2005 que provavelmente havia descoberto o palácio do rei Davi, foi como se fizesse veemente defesa de uma proposição da velha escola de arqueologia que está sob ataque há mais de um quarto de século: a ideia de que a descrição bíblica do império fundado por Davi e levado adiante por seu filho Salomão é historicamente exata. A contundente declaração de Eilat deu força àqueles cristãos e judeus do mundo todo para quem o Antigo Testamento pode e deve ser interpretado ao pé da letra. Seu pretenso achado tem um impacto ainda mais forte em Israel, onde a história de Davi e Salomão é entrelaçada às reivindicações históricas dos judeus à bíblica Terra de Sião.

De acordo com a Bíblia, um jovem pastor chamado Davi, da tribo de Judá, mata o gigante Golias, um filisteu da tribo inimiga. Davi é ungido rei de Judá após a morte de Saul, em fins do século 11 a.C., conquista Jerusalém, une o povo de Judá às tribos israelitas dispersas no norte e funda uma dinastia real que continua com Salomão durante boa parte do século 10 a.C. Mas, embora a Bíblia diga que Davi e Salomão transformaram o reino de Israel em um império poderoso e influente que se estendia do Mediterrâneo ao rio Jordão, de Damasco a Negev, há um probleminha: os arqueólogos, depois de procurar exaustivamente por décadas, não encontraram nenhum indício confiável de que Davi ou Salomão tenham construído qualquer coisa.

Foi então que Eilat tocou sua trombeta. "Ela sabia o que estava fazendo", afirma seu colega arqueólogo, o israelense David Ilan. "Entrou nessa briga decidida a causar polêmica."

Ilan duvida que Eilat tenha encontrado o palácio de Davi. "Minha intuição me diz que é uma construção do século 8 ou 9", diz ele. Ou seja, erigida no mínimo 100 anos depois da morte de Salomão, em 930 a.C. Críticos vão além e questionam os motivos de Eilat. Ressaltam que suas escavações foram financiadas por duas organizações, a Fundação Cidade de Davi e o Centro Shalem, dedicadas a reivindicar direitos territoriais para Israel. E zombam porque ela usa os métodos antiquados de antepassados arqueólogos, como os do avô, que não se constrangia em trabalhar com a pá numa mão e a Bíblia na outra.

A prática antes comum de usar o livro sagrado como guia arqueológico é contestada por ser um raciocínio circular, anticientífico - e quem mais se empenha contra ela é o questionador-mor da Universidade de Tel-Aviv, Israel Finkelstein, que dedicou a carreira a demolir estrondosamente hipóteses desse feitio. Ele e outros proponentes da "baixa cronologia" afirmam que o peso das evidências arqueológicas em Israel e seu entorno indica que as datas postuladas pelos estudiosos da Bíblia estão antecipadas em um século. As construções "salomônicas" escavadas por arqueólogos bíblicos ao longo de várias décadas recentes em Hazor, Gezer e Megiddo não foram erigidas no tempo de Davi e Salomão, argumenta ele; portanto, devem ter sido construídas por reis da dinastia Omride, no século 9 a.C., bem depois do reinado de Salomão. [Cont.]

Matéria Completa no Site Original: Reis da polêmica - National Geographic Brasil

Cara Nova!

Pois é...
Ano novo, blog 'novo'!
2012 começou meio 'dark side' para os internautas, soooo… resolvi dar uma mexida no template para levantar o astral.

Espero que gostem! Smiley piscando

6 de fevereiro de 2012

[YT] Lord of the Rings Medley- Lindsey Stirling



Nota da Fê: Belo Medley!

Gravadoras… é assim que se promove um artista!

[YT] John Carter Super Bowl TV Spot 2012



Nota da Fê: Pra mim, o filme do ano! 

Muito bom ver um personagem tão legal [e tão esquecido!] revitalizado dessa forma. Smiley de boca aberta Polegar para cima

Triste vai ser o pessoal mais jovem dizendo que é ‘cópia’ de Starwars quando, na verdade, é justamente o contrário. Só espero que Carter tenha o 'tempero' emocional que falta ao último.