Games violentos merecem pesquisa cuidadosa, diz Obama


São Paulo - O presidente do Estados Unidos, Barack Obama, oficializou uma série de propostas de proibição do comércio de armas, além de pesquisas mais aprofundadas sobre o uso de armas em produtos culturais, como os games, o cinema e a televisão.

Além de de propor o banimento de armas automáticas, a limitação na compra de projéteis e a checagem de perfil dos consumidores de armas, Obama quer que o congresso "financie pesquisas sobre os efeitos que os games violentos têm sobre as mentes dos jovens".

Ainda em seu discurso, ele afirmou: "Nós não nos beneficiamos da ignorância, nem de não conhecer a ciência. Essa é nossa primeira tarefa como sociedade: manter nossas crianças seguras."

As medidas são reflexo do massacre de Sandy Hook, no qual Adam Lanza, de 20 anos, matou 26 pessoas a tiros antes de se suicidar. 20 das vítimas eram crianças. De acordo com Obama, 900 norte-americanos foram mortos por armas de fogo desde o atentado.

A expectativa é que 10 milhões de dólares sejam investidos nas pesquisas sobre as causas da violência armada e parte desse valor seja destinada à pesquisa sobre efeitos dos games sobre as pessoas.

A associação da indústria de games ESA declarou que o setor tem a "responsabilidade de fornecer escolhas e ferramentas aos pais sobre filmes e programas que seus filhos assistem e também sobre os games que elas jogam." Por outro lado, a Associação Nacional de Rifles condenou o discurso.

Leia mais sobre tecnologia





Enviado via iPad

Comentários

Postagens mais visitadas