Universidade escocesa acha 'registros' sobre monstro de lago

Uma equipe de pesquisadores encontrou na Escócia os primeiros documentos históricos em que se menciona a figura de Morag, uma criatura que se assemelha ao famoso monstro do Lago Ness e que, segundo os moradores, vive em outro lago da região, informou nesta segunda-feira a imprensa britânica.

Sem fotos, existência do suposto monstro é baseada em relatos (Foto: Reprodução)
Sem fotos, existência do suposto monstro é baseada em relatos (Foto: Reprodução)

Os textos são datados em 1902 e também estão presentes na obra de Alexander Carmichael, um grande pesquisador do folclore popular britânico do século XX que teria viajado à região de Lochaber para recolher os primeiros relatos sobre este monstro.

Em seus diários, descobertos agora na biblioteca da Universidade de Edimburgo, Carmichael descreve o possível aspecto de Morag através das histórias populares, nas quais a criatura aparece relacionada pelos aldeães com o monstro Nessie.

"Há uma criatura no lago Morag. Ele sempre aparece quando alguém de idade avançada do lugar morre. A última vez que o mesmo foi visto ocorreu em 1898, quando Aeneas Macdonnell morreu", aponta o pesquisador em uma de suas notas, escritas em gaélico.

Carmichael apresenta Morag como se fosse uma bela sereia, embora o suposto monstro também seja mencionado pelos moradores locais como uma Parca, espécie de deusa controladora do fio da vida de cada mortal.

"Aparece emergindo sobre a água e se movimenta como se fosse uma pequena barca de madeira. É desprezada e mencionada com termos pouco lisonjeiros", acrescenta o pesquisador.

As notas escritas por Carmichael permaneceram durante 50 anos na Universidade de Edimburgo junto ao restante de sua produção até o último ano 2011, quando o professor Stewart, que buscava documentos sobre o folclore britânico, encontrou esses inéditos manuscritos.

"Acho que os textos são bastante emocionantes. Permitem-nos olhar por uma janela e ver como as pessoas viam este monstro há mais de 100 anos. São as primeiras observações que temos por escrito deste fenômeno", explicou Stewart.

Sem provas e registros fotográficos, a existência do suposto monstro Morag é baseada apenas em relatos de testemunhas, o primeiro deles em 1887. Mais de 50 anos depois, em 1948, nove pessoas também alegaram ter visto uma criatura de 6 metros de comprimento no lago Morag.

As águas doces deste lago são as mais profundas das Ilhas Britânicas, chegando a alcançar os 310 metros de profundidade.




Enviado via iPad

Comentários

Postagens mais visitadas