Menina morre durante cirurgia de remoção do clitóris, no Egito

'Cirurgia mutiladora é tradição no país desde o tempo dos faraós'
Hã? Excuse me?
Calminha aí. Esse é o problema com a imprensa. É sempre informações jogadas e fora de contexto. Que eu saiba a ablação é um costume africano e teria [isso é discutível] sido introduzido no Egito com a invasão dos etíopes na época da XXV dinastia faraônica. Isso num período bem tardio [por volta de 600 a.C.]. Falando assim até parece que já era praticada no tempo que as pirâmides eram cubos...rs

A mulher egípcia tinha um status social que ainda causa inveja. Isso em pleno séc. XXI. Se você, caro leitor, está achando isso difícil de acreditar, então lanço uma pequena pergunta no ar. No Egito Antigo várias mulheres se tornaram faraós. Quantas 'presidentas' o Brasil já teve? Ou os USA? Não vale citar a rainha da Inglaterra [Tá. Vou dar essa canja. Ela vale] :P
Mesmo assim, em alguns aspectos elas ainda dão um banho na gente. Possuíam vários direitos que só a partir do século passado [XX] as mulheres ocidentais passaram a ter. Perante as leis egípcias homens e mulheres eram iguais. Elas tinham direito a propriedade e de trabalhar fora. Direito a herança. De ter o seu negócio próprio. Podiam depor contra o marido, se divorciar e mais um monte de coisas.

Os gregos jamais compreenderam a liberdade da mulher egípcia e as tomaram por 'mulheres de vida fácil'. Eles foram responsáveis por muitas interpretações errôneas a cerca da cultura egípcia. Foram eles que inventaram que as pirâmides teriam sido construídas por escravos simplesmente por serem incapazes de conceber uma outra forma dos egípcios as terem construído, a não ser, na base do chicote. A cultura grega era muito diferente da egípcia, embora tenha sofrido uma influência significativa da mesma. Eram gregos e pensavam como gregos. Esse erro infelizmente perdura até hoje. Graças a Hollywood e a um certo livro sagrado. Na verdade, dois livros sagrados. Mas deixa assim antes que eu seja excomungada...rs

Mas voltando a ablação. Essa é uma prática brutal e tem mesmo que ser banida. Palmas para o governo egípcio por a ter proibido.

Garota tinha 13 anos e pode ter sido vítima de dosagem errada de anestesia.
Cirurgia mutiladora é tradição no país desde o tempo dos faraós
Uma menina de 13 anos morreu após uma operação de remoção do clitóris no norte do Egito. É a primeira vítima anunciada desde junho, quando o governo do país proibiu a prática, informou, neste sábado (11), o jornal oficial "Al Ahram".

Segundo o jornal, a menina, identificada como Karima Rehim Said, era do povoado de Abu Hamar, na província de al-Garbiya, no noroeste do delta do Nilo. Após a morte, as autoridades fecharam a clínica onde ela havia sido operada e iniciaram uma investigação.

Fontes do Ministério da Saúde egípcio acham que a razão da morte da garota pode ter sido uma dose errada de anestesia na operação, devido à ausência de um especialista, acrescentou o jornal.
O governo egípcio proibiu definitivamente a ablação (remoção) do clitóris em junho, depois de uma menina de 12 anos morrer durante uma operação de mutilação genital em circunstâncias parecidas.

Calcula-se que 90% das egípcias em idade fértil sofreram a operação. Mas as campanhas governamentais dos últimos dez anos conseguiram baixar a percentagem, segundo fontes oficiais.

A ablação é uma prática comum nos países da margem do Nilo desde tempos faraônicos. Ela não está relacionada com o Islã nem com o Cristianismo, embora as duas religiões tenham aceitado o costume durante séculos como meio de controle sexual e social.

Fonte: G1

Comentários

  1. Mulheres sem prazer...que horrível.
    Homens malditos!
    Só querem aproveitar da gente.
    :@

    ResponderExcluir
  2. Por que esse médico não corta o grelo da mae dele? ah talvez porque um outro médico já o tinha cortado, então corta o saco do seu pai

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas