Excesso de informações pode causar problemas de memória no dia a dia

O que vim pegar aqui na sala?  Deixei o gás ligado quando saí de casa? Qual é o nome do ator que fez aquele filme mesmo? Quase todo mundo já passou por situações como essa, né? O esquecimento em algum grau é parte da nossa rotina diária.  Mas a falta de memória atinge gente de todas as idades. Um dos culpados é o excesso de informação que chega até a gente todo dia. São milhões de páginas na internet com todo tipo de conteúdo. Temos que memorizar senhas, datas de aniversário, compromissos, etc. Aí, não tem jeito: começam os problemas de esquecimento. Perdemos o fio da meada de uma conversa, o diálogo de um filme.

Então, é fundamental filtrar o que se vai mandar para dentro do cérebro, selecionar com critério o que é mesmo relevante. Quem não faz isso pode acabar ficando doente. A pessoa se irrita facilmente, fica com sentimento de impotência, insatisfação e ansiedade. Também aparecem sintomas físicos como dores no corpo, palpitação e sensação de cansaço.

O psiquiatra Jairo Werner explica: "Estamos criando novos problemas e ampliando velhos. Temos visto alterações de humor, pessoas muito impacientes, porque elas estão inseguras de estar faltando algo. A permanente sensação de que está faltando alguma coisa tem piorado alguns quadros de ansiedade e gerado outros".

Para o neurologista Saul Cypel, somos todos torpedeados por uma grande quantidade de informação. "Quando esse excesso não é bem administrado, quando você não controla as fontes, não tem um foco dirigido para aquilo que está buscando, certamente você vai se perder".





Enviado via iPad

Comentários

Postagens mais visitadas