Marcha Soldado Cabeça de Papel...

Essa eu 'roubei' do Blog do News Errado.
Sensacional, não? A mais bela nave em todos os tempos! :D
Não parece, mas é um origami. :)

Sabem aquele ditado que diz 'ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão?' :P Pois é. Eu 'roubo' mesmo. Dou a cara prá bater, mas cito as fontes...rs
É um gesto tão pequeno e tão bonito. O foda é quando as pessoas se 'apropriam' das coisas dos outros indevidamente. Pior ainda quando reclamam do que não é seu [sim, eu ainda não esqueci o YouTube]. Eu acho isso tudo uma infantilidade terrível. Eu acho que as pessoas vão visitar seu blog porque gostam de você, gostam das suas opiniões. Existe coisa mais chata que o tal do Copy/Paste? Você procurar algo na net e encontrar trezentos sites e blogs com o mesmo texto? É deprimente. Para dizer o mínimo.

Vou aproveitar o post prá contar uma 'desventura' que tive envolvendo origamis e a ditadura militar. Quando eu estava no colégio tive uma professora de história que nos chamava de 'filhos da ditadura'. Como toda adolescente eu era burra, pateta, alienada e dona de si. Eu achava que ela era maluca, afinal eu não tinha nada a ver com a 'tal' ditadura militar. Como poderia? Aquilo chegava a ser uma ofensa quase pessoal! Eu era uma criança! Ninguém na minha família era 'comunista'. Ninguém tinha sido preso ou torturado. Minha família era do 'bem' como se diz hoje. [argh!] Eu era uma criança normal filha da classe média. E tudo era um mar de rosas.

Apesar dos pesares, eu gostava muito daquela professora. Existe uma diferença muito grande entre professores exigentes e professores 'carrascos'. Professores exigentes agem assim porque sabem que você pode ser mais do que é. Eles querem que você 'veja' além da superfície porque sabem que você pode. Isso significa que se importam com você. Sempre soube valorizar esse tipo de professor. E sempre tentei corresponder as expectativas deles. Nem sempre consegui, mas enfim...

O fato é que me esforçava muito nas aulas de história. E como fazia isso, a professora sempre deixava as 'bombas' para mim porque sabia que eu faria um bom trabalho. Meu pai ficaria horrorizado na época se soubesse que eu tinha uma professora 'subversiva'. Um belo dia ela me incumbiu de apresentar um trabalho sobre 'O Golpe de 1964' [até hoje considerado Revolução pelo meu velho]. Na época era Revolução para mim também. Foi aí que descobri a diferença entre os termos e nunca mais usei Revolução. Além da pesquisa usual minha professora pediu que fizéssemos entrevistas com nossos parentes, principalmente pais, tios, avós. Nos ensinou que fontes orais são importantíssimas. E de fato, o são. [descobri isso mais tarde já na faculdade] Como boa aluna, fui a caça! Fiz tudo como manda o figurino. Mas tive problemas com as tais fontes orais. No dia marcado apresentei meu trabalho como sempre fazia. E no final revelei chateada que não tinha obtido sucesso com as fontes orais. Ela perguntou o por quê. Respondi que meu pai não estava no Brasil na época. Então era óbvio que 'não teria informações sobre o acontecido'. Que ele era boina azul e estava servindo no Oriente Médio. Então ela perguntou sobre a minha mãe. Eu respondi simplesmente 'ah... minha mãe não conta, profa. Ela não passou pelos anos 60, os anos 60 que passaram por ela!'. Prá que...foi uma risada só na sala de aula. Minha mãe era dona de casa. Ela mesma dá gargalhadas dessa história até hoje e diz 'eu era uma pateta, mesmo!' rs

Bom, na época eu não entendi direito o que tinha acontecido naquele dia. Mas minha professora adorou as tais 'fontes orais' que eu não tinha. Não lembro as palavras exatas que ela usou, mas a mensagem eu captei. Que meus pais eram o perfeito exemplo da sociedade nos anos 60. Só anos mais tarde é que fui compreender o que ela estava tentando dizer. Sem querer [querendo] ela me passou todas as informações que eu precisava para compreender como o golpe tinha ocorrido em 1964. Eu estava com a faca e o queijo na mão e não sabia. Mas ela sabia!

E um dia aquela semente que ela plantou, germinou! :)
Eu estava assistindo a um programa de tv sobre Origami. E pensei comigo mesma. Putz...Que legal! Pena que eu não aprendi a fazer nada dessas coisas no colégio. Eu só aprendi a fazer aviãozinhos, naviozinhos e bom, não precisei pronunciar o último. Sim, chapéu de soldado! Meu sangue gelou nas veias!!! AS FORÇAS ARMADAS!

Uma lâmpada se acendeu acima da minha cabeça exatamente como nos desenhos animados! Eu precisava ver com os meus próprios olhos! Fui atrás dos meus livros de infância. Encontrei o meu primeiro dicionário. O que vi lá fez o meu sangue congelar de vez! Páginas e páginas de puro ufanismo. O dicionário mostrava imagens dos objetos e uma pequena descrição deles. No máximo duas linhas. Mas quando chegava em soldado, bandeira, pátria, nação, presidente. Bom, aí a coisa pegava. Uma página inteira lindamente decorada com belos textos do tipo 'soldado é aquele que defende a pátria'. O resto da baboseira fascista eu fiz o favor de deletar do meu cérebro. Pelo menos a parte consciente. O resto eu tenho que lutar no dia a dia para me livrar deles. Mesmo com toda a cultura que já acumulei muito dessa baba não vai sair jamais.
Tento viver com isso, fazer o quê.

Então eu percebi finalmente o que minha professora queria dizer quando nos chamava de 'filhos da ditadura'. Ela queria dizer o quanto fomos manipulados, alienados pelos militares. O quanto nossa educação foi tendenciosa. O quanto deixamos de aprender!!! Os livros proibidos que deixamos de ler. Líamos o que as autoridades queriam que lêssemos.

Nunca tive a chance de reencontrar minha antiga professora de história. :(
E provavelmente, nunca terei. Eu gostaria de encontrá-la um dia, talvez bem velhinha e lhe dizer uma única palavra - Obrigado!

Comentários

  1. bem, eu achava que seu post podia estar dividido em dois: o Origami e o Editorial!
    Sobre o editorial, eu vou aproveitar pra dizer uma preocupação minha: tudo está se encaminhando no Brasil para que a sociedade aceite um novo governo ditatorial. Talvez não militar, mas populista talvez. O caos constante, as notícias de violência, corrupção e impunidade diariamente.Aquela sensação de que falta um governante corajoso, de pulso firme pra enfrentar essas "forças do mal". Brasileiro sempre espera o salvador da patria, o "pai" que vai cuidar dele, em vez de fazer sua parte para que o país melhore.
    Reclamam do roubo dos deputados mas cometem delitos na sua vida diária, que podem ir da sonegação de impostos à furar fila no supermercado.
    Bem, desculpe aí o desabafo, o comentário virou quase um editorial meu!

    ResponderExcluir
  2. É verdade Antonio...rs
    É que foi saindo assim meio que do nada. E se deixar para depois, acaba não saindo. Eu também estou muito preocupada mesmo. Tipo, não de uma ditadura militar. Não precisa ser. Concordo plenamente. O que acho mais grave é esses jovens de hoje fascistóides [a internet tá cheia] que nem sabem o que é direita, esquerda [prá eles é tudo igual], que odeiam o governo Lula [sem ter motivos para isso, apenas porque odeiam o cara]. Não percebem o quanto são manipulados. Por isso eu fiz esse post. O que me preocupa é a falta de pensamento lógico. A falta de discernimento, observação crítica. Enfim, ninguém tá aí prá nada. Aí já acham que eu sou petista e que amo o Lula. Não sou petista. Só tento ser o mais imparcial possível e tentar ver de forma lógica os erros e acertos do governo do cara. Há tempos que estou alertando para esse fascismo velado que estamos vivendo. E o perigo dessa lógica ou estou do seu lado ou contra você. Quando entro numa comunidade de história que um dia foi séria na Orkut e vj os professores sendo acusados de serem de 'esquerda' eu fico chocada. Algo está errado. Muito errado.
    Quanto ao desabafo...
    Somos dois!
    Eu também precisa desabafar...rs
    Se quiser pode desabafar mais vezes. :)

    ResponderExcluir
  3. Oi

    Gostei muito do seu blog, sou professor de história e autor do modelo da Enterprise. Concordo em gênero número e grau com o que dissesse sobre a ditadura e o totalitarismo (não importa se de direita ou de esquerda ou se são velhos com velhas idéias ou jovens com as mesmas idéias mascaradas de novidades). Bem como sou o autor da foto e acredito ainda que podemos ter ética e dar exemplos a foto é minha e o blog de origem dela é http://spaces.msn.com/members/VickVipper/

    Ah e não é um origami é algo mais sofisticado é um modelo de papel ele foi desdobrado a partir de um modelo 3D complexo se der uma olhada no meu blog eu postei o desenvolvimento de todo esse trabalho.

    Novamente parabéns e obrigado!

    ResponderExcluir
  4. Que texto bonito, suas palavras são tocantes, parabéns =)

    ResponderExcluir
  5. Obrigada Skywalkerpg
    Apareça sempre.
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Que texto bonito, suas palavras são tocantes, parabéns =)

    ResponderExcluir
  7. É verdade Antonio...rs
    É que foi saindo assim meio que do nada. E se deixar para depois, acaba não saindo. Eu também estou muito preocupada mesmo. Tipo, não de uma ditadura militar. Não precisa ser. Concordo plenamente. O que acho mais grave é esses jovens de hoje fascistóides [a internet tá cheia] que nem sabem o que é direita, esquerda [prá eles é tudo igual], que odeiam o governo Lula [sem ter motivos para isso, apenas porque odeiam o cara]. Não percebem o quanto são manipulados. Por isso eu fiz esse post. O que me preocupa é a falta de pensamento lógico. A falta de discernimento, observação crítica. Enfim, ninguém tá aí prá nada. Aí já acham que eu sou petista e que amo o Lula. Não sou petista. Só tento ser o mais imparcial possível e tentar ver de forma lógica os erros e acertos do governo do cara. Há tempos que estou alertando para esse fascismo velado que estamos vivendo. E o perigo dessa lógica ou estou do seu lado ou contra você. Quando entro numa comunidade de história que um dia foi séria na Orkut e vj os professores sendo acusados de serem de 'esquerda' eu fico chocada. Algo está errado. Muito errado.
    Quanto ao desabafo...
    Somos dois!
    Eu também precisa desabafar...rs
    Se quiser pode desabafar mais vezes. :)

    ResponderExcluir
  8. Sensacional o seu texto. Estava pensando em fazer faculdade de história e o seu texto me deixou com mais vontade. Ainda estou considerando, mas saiba que quer eu faça ou não, você é uma das protagonistas por me fazer tomar gosto. Obrigado.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas